sexta-feira, 9 de junho de 2017

Os Despojados de Ursula K. Le Guin



Sinopse

A jornada de um homem em busca da reconciliação de dois mundos



Em Anarres, um planeta conhecido pelas extensas áreas desérticas e habitado por uma comunidade proletária, vive Shevek, um físico brilhante que acaba de fazer uma descoberta científica que vai revolucionar a civilização interplanetária. No entanto, Shevek cedo se apercebe do ódio e desconfiança que isolam o seu povo do resto do universo, em especial, do planeta gémeo, Urras.

Em Urras, um planeta de recursos abundantes, impera um sistema capitalista que atrai Shevek, decidido a encontrar mais liberdade e tolerância. Mas a sua inocência começa a desaparecer perante a realidade amarga de estar a ser usado como peão num jogo político letal.

Que esperança e idealismo restam a Shevek, aprisionado entre dois mundos incapazes de ultrapassar as diferenças? E ao desafiar ambos os regimes políticos, conseguirá ele abrir caminho para os ventos da mudança?


Opinião:


Mais um grande livro de FC que tive o prazer de ler e sinceramente foi uma enorme surpresa constatar a qualidade desta escritora que já me tinha surpreendido com a saga Terramar, mas aqui temos um livro mais real e com menos elementos de fantasia, género que permite ao escritor ter mais liberdade criativa. Aqui encontramos um livro que nos apresenta dois idealismos diferentes, dois mundos opostos e acima de tudo um personagem que nos agrada e cativa, gostei que não tivesse mudado os seus princípios e mais não posso revelar, mas conseguirá ele trazer a mudança ?.

Um livro que tem um universo rico e variado, que nos faz reflectir,  bem explorado e que apresenta um final que nos deixa na duvida se não terá continuação, mas seja como for foi devidamente encerrado e  que me deixou bastante agradado. Tudo isto acrescido de uma escrita cativante, que nos envolve, nunca sendo descritiva e com personagens muito interessantes em especial Shevek, o protagonista da história.

Referir que gostei bastante da nota introdutória apresentada pela Editora do livro, a Safaa Dib que tenho a certeza que será uma mais-valia para a Editora, aliás acredito que muitos dos livros publicados já tenham o seu cunho pessoal, mas é com agrado que a vejo como Editora e logo com um livro deste calibre.

A confirmação que a SDE está a voltar a publicar livros com muita qualidade, seja ela em Fantasia, FC, Romance Histórico, um livro que recomendo até para quem queira experimentar o universo tão rico da Ficção Cientifica.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

os 200 melhores Percursos de Trekking de Portugal - Divulgação



Sinopse

O mais importante não é a partida nem a chegada. O que interessa é o caminho. 

 

Com 561 km de comprimento, 218 km de largura e 2351 metros de altitude, Portugal é um mundo por descobrir, que compensa a (relativa) pequena dimensão do território com uma surpreendente variedade de paisagens. E que melhor modo haverá para o fazer senão a pé, com tempo para apreciar e usufruir do que não está à vista? 

É esse o desafio que fazemos ao leitor neste guia: que parta à descoberta das serras e montanhas, das planícies e rios, das ilhas, praias e cidades, da história, do património e especialmente das gentes, sempre com um pé a seguir ao outro, porque o mais importante não é a partida nem a chegada. O que interessa é o caminho.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Nove Principes de Âmbar de Roger Zelazny


Sinopse:

As Crónicas de Âmbar - livro um



Âmbar é o único mundo verdadeiramente real. Todos os outros mundos, incluindo a Terra, não passam de sombras que de certa forma o imitam.
Exilado na Terra desde há séculos, o príncipe Corwin acorda na cama de um hospital, sem memórias da sua existência passada. Gradualmente, descobre a verdade e é forçado a regressar ao mundo paralelo de Âmbar onde descobre que o rei Oberon, seu pai, é dado como desaparecido. Para ganhar o seu direito à sucessão do trono, Corwin terá de enfrentar realidades impossíveis forjadas por assassinos demoníacos, horrores inomináveis e os exércitos e fúria dos seus irmãos, os príncipes de Âmbar.

Opinião:

Quem acompanha a Coleção BANG! quase, desde o inicio, só pode sentir uma enorme satisfação ao ver os mais recentes lançamentos da Editora e seguramente arrisco-me a dizer que Terrarium de João Barreiros e Luís Filipe Silva será o grande lançamento do ano, mas não só. Nomes como Robin Hobb, Ursula Le Guin, Steven Erikson, Jeff Vandermeer são apenas mais alguns exemplos e claro Roger Zelazny, que confesso já tinha lido há muito tempo, e foi com muito gosto que vi ser incluído no catálogo, seguramente uma mais valia, para a Coleção, que fará as delicias dos amantes da Fantasia dada a qualidade apresentada.

Este início de crónicas tem tudo o que gosto nos livros, um enredo muito bem desenvolvido repleto de criatividade e originalidade, uma escrita que cativa, recheada de ação e que nos leva a absorver cada página de forma compulsiva, as personagens são muito cativantes e bem desenvolvidas e, se levarmos em conta que é o primeiro livro, melhor não podíamos querer, pois ficamos devidamente enquadrados com o universo.

Como já referi o livro apresenta um ritmo forte mas tem igualmente momentos mais calmos onde nos vai sendo dada informação sobre o universo e em especial para nos dar a conhecer melhor as personagens. Nesse capítulo Corwin será uma personagem ao qual ninguém ficará indiferente dada a forma como foi desenvolvida, não quero entrar aqui em grandes pormenores mas a nível de personagens estamos muito bem servidos.

Mais uma grande leitura proporcionada pela Editora! Só posso recomendar a leitura deste livro, mais uma pérola lançada pela Saía de Emergência, leiam que vale muito a pena. E que venha o seguinte o mais breve possível.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Os Senhores do Norte 3 volume da Saga Saxonica de Bernard Cornwell



Sinopse

Uma poderosa história de traição, romance e luta numa Inglaterra cheia de convulsões, sublevações e glória

Corre o ano de 878, e o Wessex está livre de vikings. Uhtred, o filho expropriado de um senhor da Nortúmbria, ajudou Alfredo a obter a vitória, mas sente-se desgostado com a falta de generosidade de Alfredo e repelido pela insistente piedade do rei. Parte do Wessex, com destino ao Norte, em busca de vingança pela morte do pai adoptivo e para salvar a irmã adoptiva, capturada num ataque. Para tal, precisa de encontrar o seu velho inimigo, Kjartan, um lorde dinamarquês renegado
que se esconde na formidável fortaleza de Dunholm.
Uhtred chega ao Norte para se deparar com a rebelião, o caos e o medo. A sua única aliada é Hild, uma freira saxã ocidental em fuga à vocação, e a sua maior esperança reside na própria espada, com a qual construiu uma reputação formidável enquanto guerreiro. Para obter a tão desejada vingança, precisará do auxílio de outros guerreiros para confrontar os poderosos e cruéis senhores vikings do Norte.

Opinião:

Mais um grande livro deste escritor, não tenho a menor duvida em considerar Cornwell como um dos melhores escritores deste género literário. Dá gosto ver a legião de admiradores que ele conquista, pois trata-se de um escritor muito consistente, que imprime um ritmo forte quando tem de o fazer, nomeadamente naquilo que não vejo ninguém fazer igual: a descrição de combates. Para além disso sabe tornar as personagens muito cativantes.

É sempre um enorme prazer regressar a este universo, rico em intrigas politicas, questões de honra, traições, tudo ingredientes bem desenvolvidos a que se junta uma escrita cativante, com momentos que nos deixam empolgados. Em resumo um enredo complexo e bem desenvolvido.

Sem dúvida que uma das mais valias dos seus livros são as personagens, que nos cativam, emocionam e são muito bem desenvolvidas, em especial a personagem principal e os seus diálogos com o Rei Alfredo, mas não quero adiantar muito mais até para não correr o risco de efetuar algum spoiler.

Que venha urgentemente o livro seguinte, "A Canção da Espada". É cruel ficarmos agora à espera de mais aventuras e (será sem saber?) saber o que se seguirá. Mais que recomendado.



segunda-feira, 8 de maio de 2017

Marcada na Pele 4º volume da serie os Outros de Anne Bishop




Sinopse

Ninguém tem a capacidade de criar novos mundos como Anne Bishop, autora bestseller do The New York Times.

Durante séculos, os Outros e os humanos viveram lado a lado numa paz precária. Mas quando a Humanidade ultrapassa os seus limites, os Outros terão de decidir o que estão dispostos a tolerar.

Desde que os Outros se aliaram às Cassandra Sangue, os frágeis mas poderosos profetas humanos que estavam a ser explorados pela sua própria espécie, tudo se transformou na relação entre humanos e os Outros. Alguns como Simon Wolfgard, metamorfo e líder, e a profetisa Meg Corbyn, encaram a nova parceria como vantajosa.
Mas nem todos estão convencidos. Um grupo de humanos radicais procura usurpar terras através de uma série de ataques violentos contra os Outros. Mal sabem eles que existem forças mais perigosas e antigas que vampiros e metamorfos e que estão dispostas a fazer o que for necessário para proteger o que lhes pertence…

Críticas

"Marcado na Pele não é só o melhor livro de fantasia urbana do ano, é provavelmente um dos melhores de sempre." – All Things Urban Fantasy

Opinião:

Finalmente o que sempre desejei para esta serie concretizou-se, mais ação, mais violência a introdução de personagens novas que acabaram por trazer mais valia ao enredo, levar a história para fora de Lakeside, boa possibilidade de algum romance poder ser desenvolvido, para mim este é sem duvida o melhor livro da serie até ao momento.

Espero que a introdução das personagens oriundos das terras selvagens sejam bem desenvolvidas, nestas questões de elementos de fantasia pode tornar a leitura ainda mais interessante, mas se for mal conseguida pode colocar em causa toda a saga, mas a escritora já provou ter muita qualidade neste aspeto.

Um ciclo que se encerrou, deixando o leitor na perspetiva de querer saber como tudo será desenvolvido a partir deste momento, acredito que os seres das terras selvagens serão mais exploradas, curiosidade de perceber de onde virá agora o perigo para o núcleo principal do enredo e para todo o universo, qual o futuro de Meg a protagonista, enfim mistérios não falta.

As expetativas são altas e já se sabe estes livros são sempre lidos a alta velocidade tal a forma como nos prende, tudo para termos Anne Bishop no seu melhor, venha o livro seguinte.


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Poder e Vingança de Jon Skovron, 1º volume da trilogia Império das Tormentas



Sinopse 


UM PROCURA PODER. O OUTRO VINGANÇA.

Num império fraturado espalhado por mares selvagens, dois jovens de culturas diferentes encontram um objetivo em comum. Uma rapariga sem nome é a única sobrevivente quando a sua aldeia é massacrada por biomantes, servos místicos do imperador. Após receber o nome da sua aldeia devastada, Esperança Sombria é treinada pelo mestre Vinchen como uma guerreira e instrumento de vingança.


Nas ruas da cidade de Nova Laven, um rapaz torna-se órfão e é adotado por uma das criminosas mais afamadas do submundo. Recebe o nome de Ruivo e é treinado como ladrão e vigarista. Quando um acordo é feito entre criminosos e os biomantes para governar as ruelas de Nova Laven, os mundos de Esperança e Ruivo acabam por chocar e eles são forçados a uma aliança inevitável…

Opinião:

Não tenho dúvidas​ que este primeiro volume tinha tudo para que pudéssemos estar na presença de mais um inicio de livro de fantasia de qualidade, pois quer o enredo quer as personagens até foram bem desenvolvidas, a questão é que mesmo não sendo grande especialista, já li alguns livros deste género e quando olho por exemplo para Scott Lynch (há quanto a mim algumas semelhanças em pequenos pormenores, como o personagem Ruivo) a diferença de qualidade é gritante e tem muito a ver com a escrita, mas repito, até teve bastantes coisas que me agradaram.

Sendo normal num primeiro volume ser-nos apresentado o universo, as personagens, ainda assim tivemos muitos desenvolvimentos. O livro vai tornando-se mais intenso à medida que vamos avançando, sendo que o final acaba por ser bem conseguido, deixando um primeiro ciclo devidamente encerrado mas preparando desde já os livros seguintes. Fiquei com curiosidade de saber o que ai vem.

Não gostei foi da escrita, em primeiro lugar há um tipo de gíria muito própria de quem vive em Nova Laven que não acrescenta nada de novo e acaba por desconcentrar um pouco o leitor. Em vez de dar mais profundidade a certas personagens, o autor acaba por criar demasiados jogos "amorosos" entre os personagens principais, tornando-as um pouco infantis. Desta forma, alguns aspetos podiam ter sido melhor desenvolvidos pois acabaram por ser um pouco previsíveis, como por exemplo o cumprir de determinada "vingança" e por aqui fico até para não efetuar nenhum spoiler.


Um bom livro para quem goste de fantasia, embora não traga nada de original. Tem tudo para se tornar um nome forte, desde que melhore ali um ou outro aspeto, o que acredito que venha a acontecer.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

" Deus não mora em Havana" de Yasmina Khandra




Sinopse:
No momento em que o regime castrista perde o alento, «Don Fuego» continua a cantar nos cabarés de Havana. Outrora, a sua voz electrizava as multidões. Agora, os tempos mudaram e o rei da rumba tem de ceder o seu lugar. Entregue a si próprio, conhece Mayensi, uma jovem «ruiva e radiosa como uma chama», pela qual se apaixona perdidamente. Mas o mistério que cerca essa beldade fascinante ameaça o seu improvável idílio.

Cântico dedicado aos fabulosos destinos contrariados pela sorte, Deus não Mora em Havana é também uma viagem ao país de todos os paradoxos e de todos os sonhos.

Aliando a mestria e o fôlego de um Steinbeck contemporâneo, Yasmina Khadra conduz uma reflexão nostálgica sobre a juventude perdida, incessantemente contrabalançada pelo júbilo de cantar, de dançar e de acreditar em amanhãs felizes.


Opinião:

Mais um grande romance que Khadra me proporciona, um dos melhores que tenho lido e de todos os seus livros, sem dúvida que este prima pela sua qualidade. Raramente ficamos desapontados com a leitura deste escritor, gostei bastante.

Apresenta personagens interessantes, em especial «Don Fuego» cativante e bem desenvolvida, está escrito de uma forma muito própria, proporcionando uma leitura rápida, fluída e viciante e apresenta um enredo rico, bem pensado num pais já de si um verdadeiro mistério, Cuba.

Só posso recomendar, sinto que li um grande romance, que me proporcionou alternar e diversificar as minhas leituras, num universo muito real, repleto de crueldade mas ao mesmo tempo cativante.

Mais uma grande prova que a Editora Bizâncio publica livros de muita qualidade e que merecem ser lidos.