segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Melhores livros lidos em 2013 (Ficção Cientifica / Fantasia / Romance Histórico)




Olá Pessoal,

Pois é o ano de 2013 está prestes a terminar e foi um ano bom a nível de leitura, não sei ao certo quantos livros li (podia conta-los através do blog lol) ainda assim devo andar numa média mensal de 2 a 3 livros.

Quanto ao que de melhor li é um exercício nada fácil de fazer, só de me lembrar que deixo de fora livros da Jacqueline Carey, Bernard Cornwell, Raimond Feist, David Liss ou mesmo Artur Heman, entre outros custa-me imenso mas pronto ficam estas 3 escolhas e fiz por género literário que leio com mais frequência :)

O melhor livro foi O Terror de Dan Simmons (Romance Histórico)

A nível de Fantasia escolho o final da saga O Regresso do Assassino da Robin Hobb

Quanto a Ficção Cientifica escolho A Oeste do Éden de Harry Harrison

Podem ler os comentários ao livros clicando em cima do nome de cada um.



Já agora aproveito e incluo Top 10 de blogues:

Eu e o Bam (da amiga Nádia, que muito me ajudou nos momentos mais difíceis e não só claro)

Folhas do Mundo (da amiga Caminhante, nem vou dizer muito, obrigado por tudo ;) )

A Magia dos Livros (Da Rita, um blog excelente e uma amizade já antiga )

O Senhor Luvas (Do amigo Marco, sempre presente a ajudar-me)

Crónicas de Mirime (Da amiga Pisco, incansável)

Dragonmountbooks (Da amiga Cassiana, muita consideração)

O Imaginário dos Livros (Da amiga Maria Rita, que temos gostos muito em comum)

Ler e Criticar (Dos melhores blogues que conheço sobre comentários a livros do amigo Luís Pinto)

A Menina e o Vento (Da amiga Amanda)


Agora 3 agradáveis surpresas (já estou a fazer batota :D)

Páginas Encarnadas (Da amiga Catarina uma revelação...vez eu inclui-te :P)

A Biologia de Arte (Da amiga Patrícia, um blog diferente mas muito fixe e claro um pessoa impecável)

GeekingOut (Do amigo Rui Esteves, muito interessante ;) )

Claro que sigo outros blogues, sabem que podem contar com a minha ajuda, mas não deu mesmo para incluir todos, que me perdoem e que ninguém se melindre, não é esse o objetivo :D

Partilhem as vossas escolhas e claro desejo a todos um bom ano de 2014, com muitos livrinhos lidos de preferência, pois ler é dos melhores vícios que temos :)


E é tudo que o corvo é preguiçoso , beijos e abraços :D

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

A Ironia e Sabedoria de Tyrion Lannister de George Martin


Sinopse

Venha conhecer Tyrion Lannister, uma das personagens mais memoráveis de As Crónicas de Gelo e Fogo… 

Os Sete Reinos podem chamar-lhe depreciativamente de Duende, mas não passaria pela cabeça de ninguém acusar Tyrion Lannister de ser um tolo. A sua língua melíflua já lhe salvou a vida inúmeras vezes e a sua inteligência refinada deu-lhe muitas vitórias e ainda mais dissabores. 

Tyrion é odiado e temido pela corte, mas os seus amigos conhecem-no pela lealdade e compaixão que demonstra pelos mais fracos. No palco das intrigas, a sua família é o seu maior inimigo, mas combate-os com uma fina ironia e perspicácia sem rival. A sua irmã que o diga!

Divertido e irreverente, por vezes profundo e sensato, A Ironia e Sabedoria de Tyrion Lannister pode ser um livrinho pequeno como Tyrion, mas as pérolas que contém mostram a grandeza desta personagem, uma das mais memoráveis da literatura fantástica.

Opinião

Bem, um livro que li em menos de uma hora, logo deve ser um record para estes lados, pois quanto mais vamos desfolhando as páginas mais queremos ver comentários ora inteligentes, ora mordazes, ora engraçados, desta, que é para mim e acredito para muita gente, a melhor personagem criada pelo escritor. 

Penso que ninguém consegue ficar indiferente a uma figura tão carismática como Tyron Lannister e ao lermos o livro ficamos com imensas saudades não só dele, mas de voltar a ler sobre Westeros. 

Para que não haja dúvidas tudo o que encontramos, nesta espécie de homenagem ao personagem, encontra-se nas Crónicas do Gelo e do Fogo. Muitas das situações em que o nosso Lannister passa neste livro, nada têm a ver com o que nos habituou e proporcionou al longo das Crónicas, mas não deixa de ser algo muito bem aproveitado e que acaba por ser uma leitura divertida. 

Para que tenham uma ideia nada como espreitarem o excerto disponibilizado pela Editora. Gostei imenso do que li, agora se vale o dinheiro pedido pela Editora...penso que não, até porque o Tyron, neste livro, não reflecte a personagem a que nos habituámos, não é tão incisivo, não vamos acompanhando o seu ponto de vista e o seu pensamento. Mas é claramente um livro divertido e que proporciona momentos muito bons em que acabamos por matar saudades desta brilhante personagem.

"Já me chamaram muitas coisas, mas gigante raramente foi uma delas."


segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Lançamentos previstos para o 1º semestre de 2014 da Saída de Emergência



Boas pessoal,

A editora Saida de Emergência anunciou no site da revista BANG! o que está previsto para o 1º semestre de 2014 do qual tem coisas que gosto mais coisas que gosto menos como é óbvio, mas fico muito satisfeito por ver finalmente o escritor Brandon Sanderson ser publicado por cá já em maio.

Apenas um nome é novidade para mim, Robert E. Howard. Garantido ler Brandon Sanderson, Guy Gavriel Kay e claro Raimond Feist.

Podem ver melhor o comentário no site da Revista BANG

O que acham ?


domingo, 22 de dezembro de 2013

Boas festas



Boas pessoal,

Desejo a todos boas festas, com muita festa se possível :D e votos de um excelente Natal e Ano Novo :)

Que tenham muitos livros pela frente, emprego claro e acima de tudo saúde ;)

sábado, 21 de dezembro de 2013

O Inimigo de Deus - livro 2 da trilogia Senhores da Guerra de Bernard Cornwell




Sinopse

O Rei guerreiro trouxe paz às ilhas – Mas por quanto mais tempo? 



Após uma vitória gloriosa no campo de batalha, Artur parece ter conquistado a união das Ilhas Britânicas. Agora terá de enfrentar as hordas invasoras dos Saxões, enquanto Merlim inicia uma demanda para descobrir os Tesouros Mágicos da Bretanha, na crença de que os poderes dos velhos deuses irão interceder a favor de Artur na batalha decisiva. 

Mas Artur esquece-se que os deuses amam o caos e cedo a frágil paz desmorona no momento em que velhas rivalidades irrompem e ameaçam destruir todas as suas conquistas. E no pior momento, os mais próximos de Artur preparam-se para a traição… 

Neste segundo volume da Trilogia dos Senhores da Guerra, Bernard Cornwell dá nova vida à lenda arturiana, combinando factos históricos, batalhas intensas e o velho mundo mágico de Merlim.

Críticas
"Cenas de batalhas grandiosas e intriga brilhante norteadas por personagens lendárias com características muito humanas."
-Kirkus Reviews

"Realismo de cortar a respiração."
-The Times

"Bernard Cornwell é um milagre literário."
-Daily Mail

Opinião:

Quanto mais vou lendo livros do Cornwell e em especial esta trilogia, mais o escritor se vai tornando num dos meus preferidos de Romance Histórico e finalmente nesta trilogia Arturiana, do qual já li várias sagas/obras, mostra-nos o escritor no seu auge.

O Inimigo de Deus é o 2º volume da trilogia, da qual já comentei no blog o 1º volume como podem verificar aqui e não me vou alongar muito em tudo o que gosto do escritor, pois já o referi no primeiro livro.

O escritor sabe preparar bem os seus enredos, estuda bem os locais onde a ação irá decorrer e depois apresenta-nos personagens complexas, bem construídas e que nos cativam de imediato. A tudo isto se junta uma escrita fluída e muito consistente.

É sabido que este período da história "Idade das Trevas" pouca informação existe, estamos a falar do século V e embora já muito se tenha escrito, Cornwell apresenta-nos a sua visão: "trata-se apenas de mais uma variação de uma saga fantástica e complexa que tendo chegado até nós vinda de uma época bárbara, continua a maravilhar-nos pelas dimensões heróicas, românticas e trágicas". 

E faz-lo com enorme mestria, pegando em aspetos sociais, religiosos, políticos, tudo polvilhado com elementos fantásticos e com descrições de combates como só ele sabe fazer. Mas é nas personagens que mais ficamos cativados e gostei imenso do desenvolvimento de várias, como o sempre ambicioso Bispo Sansum (que numa fase mais adiantada da vida se tornará superior de Darfel, o Saxão amigo de Artur, que é o narrador dos livros) mas acima de tudo de Lancelote, um personagem que embora vista a pele de cordeiro é na verdade uma verdadeira serpente e isso claro só pode ser uma mais valia para o enredo. Mas são muitos os personagens cativantes, pois quanto mais os vamos conhecendo mais vamos percebendo a sua complexidade. 

Muito interessante verificar como tudo é preparado para depois se fazer as devidas movimentações, foram várias as surpresas que fiquei estupefacto, as reviravoltas no enredo estão muito bem conseguidas, chocam-nos e quando isso acontece só pode ser muito bom sinal. Traições, tragédias, mistérios são vários os casos que nos deixam vidrados no livro.

Uma leitura cativante, com momentos de nos deixar empolgados, um enredo complexo e bem desenvolvido, tem tudo para se tornar o melhor que li sobre Artur, venha lá em tão o livro final.

Não esperava um final de ano com livros tão bons de Romance Histórico, excelente.

A questão que fica é o que ler a seguir, penso que vou manter-me neste género literário e seguir para David Liss.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Nova contadora de Histórias - São Bernardes



Viva pessoal,

Não venho comentar nenhum livro mas apenas divulgar que a amiga São Bernardes (Caminhante) decidiu tornar-se contadora de histórias o qual é algo que admiro imenso, nem só de livros se pode contar uma boa história :)

Aqui partilho informação adicional que vi no FB:

"Espero por vocês na Gatafunho no próximo sábado, 21 de Dezembro para passarmos um bom serão a relembrar histórias antigas de grandes nomes na literatura europeia...
Apareçam e tragam amigos

A entrada tem um custo de 5€ que pode ser descontado por inteiro na compra de livros."

Infelizmente não vou poder ir a esta primeira vez, mas quem sabe não possa ver o seu talento já em breve em Óbidos, vamos ver se se proporciona.

Que dizer mais, boa sorte amiga fico contente por ver-te a fazer o que gostas e tenho a certeza que vai tudo correr bem :D

Depois partilha a experiência ;)

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Gandhi vs. Churchill de Artur Heman


Sinopse:


O combate épico que destruiu um império e forjou a nossa época 

Nasceram em mundos diferentes: Winston Churchill numa das mais esplendorosas famílias aristocráticas da Grã-Bretanha; Mohandas Gandhi numa família religiosa da classe média, numa cidade de província na Índia. Arthur Herman revela-nos como as suas vidas e as suas carreiras se entrelaçaram, à medida que ia decorrendo o século XX. Ambos iriam liderar os seus países através de dolorosos esforços e de duas guerras mundiais – bloqueados numa feroz competição de vontades que iria decidir o destino de países, de continentes e por fim de um império. No decurso de uma longa carreira, Churchill fez o que achou necessário para garantir que a Índia permanecesse britânica. Mohandas Gandhi, em contrapartida, dedicou a vida à libertação da Índia, criando um tipo inteiramente novo de movimento político: a satyagraha, ou seja, a desobediência civil. 

As suas campanhas de não-violência, desafiando Churchill e os Britânicos, como a célebre Marcha do Sal, transformaram-se no projeto não só da independência da Índia, mas também do movimento dos direitos civis nos Estados Unidos e das lutas pela liberdade em todo o mundo. Agora mestre na arte de contar, Arthur Herman avança através de lendas e mitos sobre estas duas poderosas e carismáticas figuras, revelando as suas forças e as suas fraquezas.

O resultado é uma epopeia abrangente de domínio e de insurreição, de guerra e de intriga política, apoiada num elenco de figuras históricas fascinantes. É também uma brilhante parábola narrativa de dois homens cujos êxitos clamorosos foram sempre assombrados por fracassos pessoais e cujos momentos finais de triunfo foram ensombrados pela perda daquilo que lhes era mais querido.

Opinião:

Embora tenha lido livros muito bons ao longo do ano, parece que o melhor estava mesmo guardado para o final do ano e mais uma vez a Editora SDE me surpreende com outro Romance Histórico fantástico. Mas este livro é diferente, é escrito por um historiador, que nos impressiona com a qualidade apresentada num trabalho grandioso, vai ao detalhe a todos os níveis em que quando acabamos de ler ficamos com uma visão diferente e mais enriquecida de uma das épocas mais marcantes da história do nosso mundo. Dificilmente ficamos indiferentes quer à qualidade do livro quer ao próprio escritor. 

Como se percebe pela sinopse do livro iremos acompanhar o período do Império Britânico e conhecer duas personagens marcantes da história mundial, ambos defensores da liberdade e do livre arbítrio, mas de dois tipos completamente diferentes. Churchill valorizava a liberdade humana como produto de uma luta e a realização suprema do ser humano, era um homem com dons visionários. Por outro lado Ghandi valorizava a liberdade como realização suprema de Deus. Era obrigação do homem viver segundo esse critério e que sem ele a vida não tinha qualquer sentido. Um defensor da não violência, da paz. 

Por estranho que pareça, o livro acaba por não ter muitos diálogos o que torna a leitura menos fluída não tão viciante, embora tenha lido, a um excelente ritmo, as cerca de 730 páginas que compõem o livro. 

Se já era admirador de Gandhi, pois foram várias as vezes que vi o filme com o seu nome e me tenha emocionado pela sua grandeza, por outro lado Churchill não deixa de ser um homem que me surpreendeu pela positiva, um homem com uma vontade férrea e que teve um papel determinante na luta contra a Alemanha Nazi e os ideais fascistas. 

No fundo estamos na presença de uma investigação fantástica sobre a vida de dois homens extraordinários e que tiveram uma influência enorme nos dias que hoje vivemos. Embora seja um livro grande e caro, facto que deve ser dito, penso que é um livro que vale bem a pena o dinheiro investido e que acaba por ser uma excelente escolha para se oferecer como prenda de Natal, um livro com muita qualidade, que no final ficamos mais enriquecidos culturalmente. Logo mais que recomendado. 

Um dos melhores livros lidos este ano ;)


Oferta de Natal - Poncha da Madeira



Viva,


E mais uma vez o corvo é surpreendido com uma garrafinha, desta vez vinda da Madeira, oferta da amiga Catarina Abreu, o Natal chegou :D

Fiquei sem palavras, mas quanto mais vou conhecendo malta da madeira, mais vou ficando surpreendido, tenho que ir à Madeira está visto. 

Claro que não falo do Alberto João Jardim, falo de malta que vamos conhecendo através das redes sociais e obviamente que não é pela garrafa, mas sim pelo gesto de amizade :).

Felizmente tenho, tido muita sorte e conhecido malta impecável, mesmo sem prendas e este blog é um exemplo disso, só tenho a agradecer a vossa amizade :)

Valeu Catarina, só tu para haver aqui uma novidade no blog...OBRIGADO :D

PS: isto é bebido tal como está ? Tenho ideia de já ter bebido uma Poncha mas deve ter sido numa altura que já estava "alcoolicamente bem disposto" logo já nem me lembro :D...A ideia que tenho é que é um género de licor certo ?

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

A Companhia do Diabo de Davis Liss


Sinopse:

O Grande Romance Histórico está de volta. 

1722, Londres. Benjamin Weaver, judeu português, espadachim destemido, antigo pugilista e mestre do disfarce, vê-se aprisionado num jogo mortífero contra uma das figuras mais enigmáticas do seu tempo: Jerome Cobb. Chantageado a roubar documentos com segredos valiosos da poderosa Companhia Britânica das Índia Orientais, cedo Benjamin se apercebe que esse roubo é apenas o primeiro passo numa audaciosa conspiração. Para salvar os seus amigos das garras de Cobb, Benjamin terá de infiltrar a Companhia, manipular vários dos seus mais influentes membros e desvendar uma trama secreta que envolve rivais, espiões estrangeiros e oficiais do governo. Com milhões de libras e a segurança da nação em jogo, Benjamin enfrentará conspirações secretas, inimigos formidáveis e aliados inesperados. Numa pesquisa história escrupulosa de David Liss, A Companhia do Diabo retrata o nascimento das corporações modernas, numa narrativa de grande suspense.


Opinião:

Que grande livro! 

É um sério candidato a melhor livro do ano em conjunto com o Terror de Dan Simons, o encerrar da Saga Kushiel da Jacqueline Carey ou o culminar da segunda saga do Regresso do Assassino da Robin Hobb, sabendo que estou a falar de livros bastante diferentes entre si. Sei que começo a ser repetitivo, mas a SDE publica Romances Históricos de grande qualidade, estou farto de o referir e David Liss, é mais um exemplo. Só me pergunto porque é que ainda não tinha lido o escritor pois tenho o livro que antecede este A Grande Conspiração para ler à imenso tempo. Penso mesmo que a Editora devia divulgar um pouco melhor o que publica de Romance Histórico pois muitos até me devem passar ao lado, nem que lhes dedicassem uma página na Revista BANG!.

Embora tenha um extraordinário trabalho de investigação, onde nos é relatado a importância do comércio entre a Inglaterra e a Índia e todos os detalhes políticos e sociais de Inglaterra na época, não é isso por si só que torna o livro muito bom. Penso que a mais valia do livro é mesmo a inteligência do escritor em montar o seu enredo, repleto de humor negro, de intrigas, teias e conspirações, que nos deixam completamente perplexos com o que estamos a ler, apresentando paralelamente personagens bem construídas, inteligentes e que nos cativam de imediato.

É verdade que devia ter começado pelos livros anteriores, mas ainda assim penso que não seja necessário, pois o escritor vai-nos transmitindo detalhes do passado do personagem principal e acabamos por nos enquadrar bem em tudo aquilo que se está a passar. Engraçado que fiquei com a sensação de ser eu mesmo que estava a passar pelas situações em que Benjamim se ia metendo, pois este é o narrador da história e fala com o leitor, acabando por fazer com que tenhamos uma grande empatia com o mesmo. E vamos vivendo cada acontecimento de tal forma, que acabamos constantemente a pensar quem está por trás da trama e quais os seus objetivos. Só posso dizer que tudo está muito bem preparado e acabamos por ter um final verdadeiramente surpreendente, onde tudo acaba por ser finalmente revelado.

Sem dúvida um livro que vale a pena ser lido, com uma escrita muito boa, fluída, repleta de intriga, mistério, traições, situações de nos deixar completamente espantados com o que estamos a ler, com um humor negro a lembrar as aventuras de Flashman de George MacDonald Fraser.

Caso para dizer "Um tremendo romance histórico, ponteado com humor fino e contundente. "

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Nicholas Sparks




Nada como fazermos uma surpresa a uma pessoa amiga, então aqui temos uma mensagem dedicada a este escritor que na verdade já me proporcionou bons momentos de leituras e penso ser uma leitura agradável para variarmos um pouco do que estamos a ler. Embora ande numa de Romance Histórico, Fantasia e FC, nada como lermos um romance e tenho lido alguns bem interessantes como o caso das Serviçais, entre outros claro.

Sem duvida que é um dos escritores que mais vende, logo alvo de critica acérrima, um escritor que tem uma formula e que dali não sai, eu, muito sinceramente se estivesse no lugar dele fazia o mesmo, então vende que nem ginjas, uma legião de admiradores e vou-me preocupar com a qualidade dos livros ? 

Claro está que isto é tudo muito relativo, para mim o escritor proporciona leituras agradáveis, tem uma escrita muito fluída e os seus livros fazem aquilo que pretendo de um livro, bons momentos de leitura...ai tantos momentos em que me emocionei :D

Penso que o primeiro livro que li foi As Palavras que nunca te direi, li ainda Alquimia do Amor, Dario da Nossa Paixão, Corações em Silêncio e li ainda um livro, que não me recordo o nome mas que era narrado na perspectiva de um assassino (não é o Laços que perduram).

Por ler tenho ainda Laços que perduram, O Sorriso das estrelas, Quem ama acredita, Dei-te o melhor de mim, Um momento inesquecível e Três semanas com o meu irmão, logo acredito histórias bem bonitas, embora trágicas :P

O livro que mais me marcou foi mesmo foi mesmo o primeiro que li As Palavras que nunca te direi, mas gostei de  todos forma geral.

Já leram ? 

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Brasyl - Ian McDonald


Sinopse:

País – Brasil.Três histórias, em três séculos – 1732, 2006 e 2032 – que convergem habilmente. A história começa nas favelas do Rio de Janeiro, em cenários de droga e corrupção, deslizando para a apresentação de uma tecnologia de ponta que dá acesso a uma série de mundos e cuja existência assume diversos planos sempre que se toma uma decisão… Esta rica e épica ficção científica permite-nos conhecer os prós e contras das ciências alternativas. “Fora de série… caótica, dolorosa e alegre.”Publishers Weekly


Opinião:


Quanto mais vou lendo livros de FC mais vou descobrindo universos fantásticos e este livro não foge à regra, um livro muito bom, que recomendo a todos e que pode ser adquirido por 3,5€, conforme podem verificar aqui. Vale bem a pena e só o li porque tomei conhecimento que o escritor veio a Portugal, ao Forum Fantástico, caso contrario era mais um excelente livro que me passava ao lado.

Sei que é um género que não é bem visto, vende pouco, as pessoas não se interessam ao ver que se trata de FC, mas é puro engano, já li livros verdadeiramente fantásticos.

O livro é contado em 3 histórias, todas elas com a Brasil como o local de enredo e que vai desde o seu passado, passando pelo presente e claro o futuro. Temos:

São Paulo 2032 "Uma cidade com um coração néon. Uma cidade com incontáveis milhões de habitantes. Uma cidade com fortunas de cortar a respiração e uma pobreza mortificante. ....Uma cidade em que o ladrão poderia sair de uma favela e ficar encurralado no mundo estonteante e letal da computação quântica ilegal".

Conhecemos São Paulo no futuro pela personagem Edson Freitas, empresário, que às tantas se vê envolvido com um grupo de físicos que utilizam computação quântica para seu proveito. FC no seu melhor.

Rio de Janeiro 2006 " Uma cidade sustentada por reality shows. Uma cidade de gente que vê e que é vista..."

Acompanhamos a vida de Marcelina Hoffman, uma produtora de TV que procura um guarda-redes que esteve na final fatídica de do mundial de 1950, onde o Brasil em pleno Maracaná perde a final para o Uruguai. 

Brasil 1732 " Uma país de uma beleza paradisíaca. Um país de ouro e de morte. Um país de loucura e de religião. Um país onde um padre jesuita enviado no encalço de um padre apóstata, encontrará a fé e a realidade levadas ao limite"

Pelos olhos da padre Luís Quinn, jesuíta mandado pelos portugueses, com o objetivo de verificar as atrocidades praticadas pelo padre espanhol Diego Gonçalves, conhecemos a selvagem Amazónia com todos os seus povos e conhecemos outra fantástica personagem Robert Falcon.

Impressionante o trabalho de pesquisa realizado pelo escritor, fantástico a forma como descreve o Brasil em vários momentos da sua história, os povos existentes a sua linguagem, hábitos, costumes, a religião, e mesmo muitos locais do próprio Brasil.


Gostei igualmente das personagens, muito reais, interessantes e que nos cativam. Ficamos sempre com vontade de voltar a acompanhar a sua história cada vez que um capitulo acaba e depois temos um final verdadeiramente surpreendente.

Com uma escrita fluída e que raramente tem momentos mortos ou descritivos, com diálogos muito inteligentes e que nos fazem reflectir, penso ser um livro muito completo e de leitura obrigatória.

Não quero terminar sem deixar um agradecimento ao Marco Lopes por me dar a conhecer mais esta pérola de FC ;)  


sábado, 23 de novembro de 2013

Marcadores de livros





Olá pessoal,


Venho partilhar mais umas ofertas que me fizeram e claro começo por um marcador muito especial, dedicado ao Cantinho do Corvo Fiacha no Facebook que está muito giro, pois tem também algumas leituras conjuntas que efetuamos de escritores nacionais :)

Partilho apenas uma pequena amostra de marcadores de livros que vou guardando, não que seja coleccionador, mas como muitos deles são bem bonitos e de livros que simplesmente adorei vou guardando. Muitos deles estão dentro dos livros, pena não ter visto nenhum do George Martin, sei que tenho alguns bem bonitos :)

Por último mais uma oferta de pessoas especiais para mim, que me mimam com tanta prenda, dois livros do Nicholas Sparks, ainda tenho tantos dele na estante por ler e um livro de FC Cosmos de Carl Sagan....e lá tinha que vir o raio do gato ehehe

Obrigado a quem me ofereceu os livros, sabem que são especiais para mim e claro o marcador que foi feito com tanto gosto ;)

Coleccionam marcadores de livros ?

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Coleção BANG ! comemora 10 anos de existência


Olá pessoal,

A coleção BANG faz dez anos, está de parabéns. São tantos os livros lidos da coleção mas aqui deixo uma pequena seleção daqueles que mais me marcaram e de uma forma aleatória.

Uma escritora fantástica, um universo muito interessante e com personagens marcantes como são os casos de Joscelin - O Irmão Cassiline, Ysandre de la Courcel e Melisande Shahrizai.

Tantas emoções sentidas em Torre do Cervo com as aventuras de FitzCavalaria e os seus amigos tal como o Bobo, Breu, Moli, Veracidade e porque não Majestade ? :D

O melhor livro da coleção e são tantos os universos que descobri de FC depois de ler este livro fantástico.
Uma trilogia fantástica e com a qual me iniciei nesta coleção, depois destes nunca mais parei, que grandes momentos com este universo das Jóias Negras.

Grande livro, não me canso de elogiar, sendo dos melhores Romances Históricos que li até hoje, com um universo fascinante e personagens marcantes, grande Ammar Ibn Khairan.

Grandes momentos vividos com o bando de Locke Lamora, divertimento, aventura, e com volte-faces no enredo constantes, uma saga que merecia continuar a ser publicada pela Editora, não perdi a esperança.

Fantástico universo criado pelo Feist, que a partir do 3 volume Espinho de Prata tem um crescimento enorme. Entendo agora porque referem ser um dos melhores escritores de Fantasia. Adoro os jogos políticos existentes nesta nova saga com Mara dos Acuma.

A grande descoberta deste ano, um escritor que me passou ao lado e que, quando o descobri, me proporcionou grandes momentos gelei :D. Igualmente um grande Romance Histórico.

Que dizer deste escritor que tanto nos surpreende com tanta qualidade na sua escrita, sendo versátil em vários géneros.  Acima de tudo adoro a coragem que tem para matar personagens . Grandes KOS proporciona e deixar-nos de queixo caído é com ele :)


Criamos a Saída de Emergência em 2003, porque em Portugal não se publicava suficiente literatura fantástica. E as editoras que publicavam o faziam sem critério, regularidade ou paixão. Nós sabíamos exatamente o que queríamos lançar: as aventuras de Conan e Elric; os horrores de H. P. Lovecraft e Clive Barker; a fantasia de George R. R. Martin e Robin Hobb; a ficção científica de Frank Herbert e Philip K. Dick. Com boas capas, boas traduções, boa distribuição. Criamos a coleção Bang! e,pasmem-se conquistamos uma legião de fãs. O sucesso foi tal que a Saída de Emergência passou a publicar outros géneros, como literatura romântica (Nora Roberts) ou romance histórico (Bernard Cornwell). Mas nunca perdemos o foco: a nossa paixão era, é e sempre será a literatura fantástica. - Revista BANG! Brasil

Como já referi foi através da Anne Bishop que conheci a coleção, muito por culpa de num dos livros referir que os amantes da Juliet Marillier iriam gostar  e desde ai nunca mais parei.

Já tive o prazer de conhecer os Editores, tradutores, escritores da coleção entre muitas outras pessoas e claro conviver com muita malta leitora da coleção.

Com momentos altos e baixos, com mais ou menos polémicas, nem sempre é bem aceite a divisão dos livros, o que é verdade é que esta tornou-se não só na minha coleção preferida como Editora favorita :)

Partilhem a vossa experiência :)

Resta-me dar-lhe os parabéns à Editora, que a coleção continue por muitos e bons anos, para desgraça das nossas carteiras :D


terça-feira, 19 de novembro de 2013

Tigana - A Lâmina de Aço Volume I de Guy Gavriel Kay


Sinopse:

Com uma prosa sublime e personagens reais e convincentes, Tigana é admirável.

-The Montreal Gazette 

Tigana é uma obra rara e encantadora onde mito e magia se tornam reais e entram nas nossas vidas. Esta é a história de uma nação oprimida que luta para ser livre depois de cair nas mãos de conquistadores implacáveis. É a história de um povo tão amaldiçoado pelas negras feitiçarias do rei Brandin que o próprio nome da sua bela terra não pode ser lembrado ou pronunciado. 

Mas anos após a devastação da sua capital, um pequeno grupo de sobreviventes, liderado pelo príncipe Alessan, inicia uma cruzada perigosa para destronar os reis despóticos que governam a Península da Palma, numa tentativa recuperar um nome banido: Tigana. 

Num mundo ricamente detalhado, onde impera a violência das paixões, este épico sublime sobre um povo determinado em alcançar os seus sonhos mudou para sempre as fronteiras da fantasia.

Opinião:

Numa altura que a coleção BANG! faz dez anos (parabéns), é curioso ver finalmente este livro ser publicado, com a divulgação que o autor merece, apesar de acreditar que não deva ter sido barato. Mas como se comprova é sempre possível, e por isso leiam os artigos existentes na Revista BANG! nº15 e ai poderão constatar a qualidade do escritor / livro. Só passa ao lado deste grande livro quem não está atento.

Quanto mais livros leio deste autor, mais se confirma o porquê de estar no topo dos meus favoritos e mesmo que não o conhecesse, bastava-me ler este livro para ver que está acima da média de muito do que se publica actualmente no nosso país. 

Uma das coisas que mais gosto na obra de Guy Gavriel Kay é que os seus livros se baseiam em factos históricos, fruto de um resultado de muita investigação feita pelo autor, como por exemplo aconteceu no livro Os Leões de Al Rassan (ainda o meu preferido), onde a base do enredo se centra na ocupação Árabe na Península Ibérica.

Neste livro o universo é passado numa espécie de Veneza Renascentista, onde é acrescentado Politica, Religião e Magia. Temos ainda de um lado Vilões e do outro, claro, os nossos heróis, tudo isto parece cliché, mas o escritor tem muito mais para oferecer.

Outras das coisas que mais gosto no escritor são as personagens, quer as principais que são bem construídas, marcantes e complexas (quem não se recorda ainda de Rodrigo e Ammar) quer as secundárias que são bem aprofundadas e cativantes. A utilização de elementos fantásticos é bem feita, funcionando como uma mais valia.

Não querendo estar a revelar muito mais do que a sinopse já revela, a história é-nos apresentada pelos olhos de um jovem bardo, Davin D'Asoli, que ao presenciar um acontecimento, este muda a sua vida por completo. É das personagens mais cativantes do livro e que nos dá a conhecer o ponto de vista dos nossos amigos revolucionários. Por outro lado, vamos conhecendo o nosso vilão através de Dianora uma personagem que foi, em jovem, capturada pelos mercenários do Rei Brandim tornando-se sua amante, é igualmente uma grande personagem, cheia de segredos e que mostra que as mulheres terão um papel bastante relevante neste universo.

Neste primeiro livro o ritmo não foi tão elevado, o que considero normal, pois o universo foi-nos apresentado, dando-nos a conhecer as personagens que são devidamente aprofundadas. Mas não quer isto dizer que não tenha já grandes momentos, tem sim senhor e estou super curioso por continuar a ler, até porque acredito que passando esta fase de descrição (nunca aborrecida, pelo contrário) o enredo vai levar uma grande volta e grandes acontecimentos.

Mais do que recomendado, de leitura obrigatória. 

domingo, 17 de novembro de 2013

Mistborn de Brandon Sanderson (divulgação)




Ois pessoal,

Ainda não tive oportunidade de ler mas não tenho duvidas em afirmar que Brandon Sanderson é um dos grandes nomes da literatura fantástica e que de acordo com a informação da Revista BANG 15 irá ser publicado em Portugal já no inicio do ano

" No ano que vem, em Portugal, vamos ver um dos melhores autores de literatura fantástica a chegar à coleção BANG! Brandon Sanderson e a sua Mistborn começarão a ser publicados ainda no primeiro terço do ano. Esta é a saga que ninguém quer perder"


Já agora este foi o escritor escolhido para terminar uma das minhas series preferidas, Roda do Tempo de Robert Jordan e pelo que percebi fez um excelente trabalho.


Estão a ver George Martin ? Não tem nada a ver :D, este escritor escreve um livro / ano, uma autentica máquina e que estou muito curioso por ler :)


Se juntarmos a este nome a publicação de Tigana de Gui Gavriel Kay (2º volume, no inicio do ano e que conto comentar em breve o volume 1) e que a Editora detém os direitos da serie Malazan de Steven Eriksson (carregar em cima para ver a fonte de informação) e as intrigas politicas apresentadas por Feist através de Mara dos Acuma é caso para dizer que a coleção BANG está bem e recomenda-se :)

PS: Tenho pena de não poder ter assistido à apresentação da Revista BANG ontem no Forum Fantástico, mas seguramente que este lançamento foi anunciado e claro foi bom rever amigos :)

Deixo aqui um comentário feito pela amiga Cassiana Teordoro ao 1º volume da serie para quem quiser ler Aqui

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Os Diários Secretos do Vaticano - John Thavis



Sinopse:

O revelador bestseller do New York Times examina o reino do Papa Bento, o processo do conclave papal e a história de uma das mais antigas e misteriosas instituições do mundo. 



Durante mais de vinte e cinco anos, John Thavis desempenhou um dos postos jornalísticos mais fascinantes do mundo: relatar os labores internos do Vaticano.


O seu contacto diário com o poder, a política e as personalidades na sede do Catolicismo Romano deu-lhe uma perspetiva de bastidores única sobre uma instituição que é de longe menos monolítica e unificada do que parece à primeira vista. Thavis mostra a Cidade do Vaticano como um lugar onde os cardeais da Cúria travam guerras particulares, os escândalos ameaçam minar a autoridade papal, e a reverência pelo passado é continuadamente invalidada pelas considerações práticas da vida moderna. 


Thavis leva os leitores de uma torre sineira no alto da Basílica de São Pedro até às profundezas da politiquice que rodeia a eleição de um novo papa e os sempre crescentes escândalos de abuso sexual em todo o mundo. Perspicaz, escrito com agudeza e humor, Os Diários do Vaticano é um livro atrativo não apenas para os Católicos, mas também para quaisquer leitores que se interessem pela diplomacia e pelo papel da religião num mundo cada vez mais secularizado.

Opinião:

Como podem verificar não estamos na presença de um romance, mas sim de um livro que nos relata a prespetiva de um jornalista que acompanhou os bastidores do Vaticano durante cerca de trinta anos, apanhando o declínio do Papa João Paulo II e passando pela nomeação de reinado do Papa Bento XVI. 

Muitos de nós, crentes ou não, acompanhamos noticias, quase semanalmente, sobre o Vaticano, quer às deslocações do Papa a vários locais, quer aos escândalos, posições que são tomadas pelo Vaticano, entre muitas outras. Sem dúvida que estamos na presença de uma instituição poderosa e que nos desperta curiosidade. 

Mas a imagem que temos da mesma, aquilo que vemos nas televisões, será mesmo suficiente para a conhecermos por dentro, bem como ao seu modo de funcionamento? 

Muita coisa é sabida, mas penso que é do conhecimento geral que existe muito secretismo envolto no Vaticano e são muitas as coisas que se passam lá dentro que nos são explicadas através deste livro e que, quanto a mim, está muito bem escrito, rigoroso e fruto de um trabalho de investigação muito bom. 

É verdade que hoje os meios de informação são muito maiores mas ainda assim nota-se um bom trabalho de pesquisa, nomeadamente no caso do reinado do papa Pio XII, que muitos tentaram que fosse beatificado, mas dada a polémica de, ter ajudado os Judeus de forma silenciosa ou nada ter feito, acabou por nunca sê-lo. 

É verdade que o Vaticano necessita dos Média, que os trata bem, dando-lhes certos privilégios, como por exemplo viajar no avião do Papa cada vez que este se desloca a algum lado, mas será que os jornalistas tem acesso e possibilidade de passar cá para fora o que querem ou serão eles um instrumento utilizado pelo Vaticano? E o contrário, isto é, se é feita uma comunicação pelo Vaticano sobre vários temas, o que vem nas notícias é tal como foi dito? Haverá algo mais interessante ou mesmo uma gafe, por exemplo, que poderia ser dito, mas que não é? 

Gostei do livro, gostei de conhecer a "personalidade" de vários elementos da Igreja, como por exemplo o padre Foster e acima de tudo chegamos ao final do livro com a sensação de termos ficado com uma visão do Vaticano diferente da que temos.

Podem ler um excerto do livro aqui

Divulgação vários


Ois pessoal,

estará já disponível e de forma gratuita uma das melhores revistas dentro do género, nas FNAC de todo o país a partir de 12 de novembro, aproveitem :)

Mais informações aqui 




Um excelente evento que irá realizar-se em Telheiras e se tudo correr bem, conto marcar presença no sábado, não só para assistir a algum evento, rever amigos, conhecer nova malta e claro espreitar as excelentes campanhas que a banca da SDE promove, livros a bom preço ;)

Podem consultar o programa aqui 

Por último divulgar uma excelente campanha que está a decorrer na WOOK, Leões de Al Rassan, Mentiras de Locke lamora, Nação e Prestigio, livros que recomendo e todos por um preço de +-30 €, vale bem a pena, só não li o prestigio, mas conto ler em breve...aproveitem que já cheira a Natal :)

Espreitem aqui 

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Tigana - Guy Gavriel Kay (Divulgação)


Sinopse:

Com uma prosa sublime e personagens reais e convincentes, Tigana é admirável.

-The Montreal Gazette 

Tigana é uma obra rara e encantadora onde mito e magia se tornam reais e entram nas nossas vidas. Esta é a história de uma nação oprimida que luta para ser livre depois de cair nas mãos de conquistadores implacáveis. É a história de um povo tão amaldiçoado pelas negras feitiçarias do rei Brandin que o próprio nome da sua bela terra não pode ser lembrado ou pronunciado. 

Mas anos após a devastação da sua capital, um pequeno grupo de sobreviventes, liderado pelo príncipe Alessan, inicia uma cruzada perigosa para destronar os reis despóticos que governam a Península da Palma, numa tentativa recuperar um nome banido: Tigana. 

Num mundo ricamente detalhado, onde impera a violência das paixões, este épico sublime sobre um povo determinado em alcançar os seus sonhos mudou para sempre as fronteiras da fantasia.


Depois do Brilhante Leões de Al Rassan para mim este livro é o lançamento do ano, podem ler um excerto aqui

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Eis o Homem de Michael Moorcock


Sinopse:

Quando a ficção-científica é de excelente qualidade, chamam-lhe literatura. Este é um desses casos...

Karl Glogauer é um homem dos nossos tempos. Quando o destino lhe oferece a possibilidade de viajar no tempo, ele não tem dúvidas quanto ao lugar e à época que quer visitar: a Terra Santa no tempo de Jesus. Mas o que poderia ser uma viajem turística à morte do Messias e ao nascimento da maior religião do mundo revela-se uma desilusão: Maria é a libertina da aldeia, José um velho amargo e Jesus Cristo apenas um deficiente mental. Devotado ao ideal de um Jesus real e histórico, Karl acredita que tem de fazer alguma coisa. Reunindo seguidores, repetindo parábolas que consegue recordar e usando truques psicológicos para simular milagres, Karl toma o lugar do Messias. Mas fará sentido um Messias que, no final, não morra na cruz?

Opinião:

Um livro que me foi oferecido pelo amigo Marco Lopes, tal como Brasil de Ian McDonald, escritor que vem ao Fórum Fantástico deste ano, e que se lê muito rápido, pois não tem mais de 100 páginas. 

Já tinha lido as aventuras de Elric, o príncipe albino dependente de ervas e do qual gostei bastante. No entanto, este livro apresenta um enredo totalmente diferente, embora em ambos os casos o escritor mostre a sua vertente mais progressista, com ideias de esquerda.

Penso que o resumo do livro não podia estar mais completo, gostei e claro não poderei comentar os acontecimentos (finais) do livro para não efetuar nenhum spoiler, mas de facto o personagem principal fez um esforço tremendo para que a história se concretize tal como a conhecemos. 

Além da forma bem pensada e erudita, divertida, irónica e mesmo sarcástica em relação à religião, como o escritor nos apresenta o enredo do livro, penso que é uma leitura que mesmo alguém religioso iria achar engraçado pois não é ofensiva nem chocante, na minha opinião. 

Um livro que embora seja contado de uma forma divertida e descontraída não deixa de levantar questões interessantes, estando a religião em antagonismo com a ciência e que nos faz pensar sem dúvida, se devemos ser crentes ou se temos a necessidade de ter algo concreto em que possamos acreditar. 

Do que mais prazer me deu, foi mesmo ler as notas do autor e conhece-lo um pouco melhor. Já tinha lido um prefácio feito pelo Neil Gaiman em relação ao escritor, no início da saga de Elric, mas aqui o escritor dá-se a conhecer, desde a sua infância às influências que teve, à sua visão ideológica e que no fundo até trespassa para o livro. 

Embora prefira as aventuras de Elric, que segundo parece aguarda melhores tempos para vir a ser publicado, se alguma vez o vier a ser, é um livro de leitura rápida e que está muito bem escrito, sendo o seu enredo bem original.

Prenda de anos dos meus colegas de emprego e não só :D






Ora aqui está duas das prendas que recebi nos anos, como podem ver na primeira imagem os meus colegas de emprego ofereceram-me o livro O Voo das Águias do Ken Follett, que conto ler em breve.

Mas nos meus anos e quem me conhece, sabe que o Corvo gosta de uma boa bagaceira, não é Medronho, é pena, mas ainda assim não me posso queixar, uma boa aguardente velha de Borba :D

E claro dá para conhecerem o meu felino que na primeira foto mais parece uma gata ehehehe, e na segunda deu-me um preciosa ajuda para as dedicatórias que os colegas de emprego escreveram :) 

Claro que tive mais prendas, muita gente me deu os parabéns ao qual só tenho a agradecer, em vários casos foi como se tivessem dado prenda na mesma, mas penso que é justo esta homenagem aos meus colegas :)

PS: enquanto escrevo isto o meu ajudante felino também deve estar a querer escrever algo, às tantas ainda tem mais talento :D

terça-feira, 29 de outubro de 2013

O Espião Que Veio do Frio - John Le Garré




Sinopse :

O Espião que Saiu do Frio é um livro do género romance do escritor John Le Carré, publicado pela primeira vez em 1963 no Reino Unido. Em plena era da Guerra Fria, o espião britânico Alec Leamas é enviado à Alemanha Oriental para servir como agente duplo. Mas à medida que vão surgindo informações, o espião começa perceber que seus companheiros estão desconfiando de seu trabalho. Este livro foi adaptado ao cinema, num filme muito premiado de Martin Ritt, com Richard Burton e Claire Bloom nos principais papéis.

Finalmente li um livro deste escritor e só o fiz graças a ajuda de uma pessoa amiga que me indicou o livro na feira do livro de Lisboa. O meu exemplar é um livro de bolso publicado pela Editora Minerva e custou-me julgo 2 € e tinha lá tantos clássicos como por exemplo o Dracula do Stoker entre muitos outros.

Isto para dizer que por vezes podemos comprar bons livros a preços acessíveis, passamos por eles e muitas vezes nem reparamos, só não comprei mais porque julgo na altura já tinha uns 12 livros da Coleção Argonauta e claro já tinha ido à banca da SDE, mas garantidamente que para o próximo ano irei espreitar a banca desta Editora :)

Quanto ao livro em si correspondeu totalmente às minhas expetativas, sempre li que este escritor é considerado como um dos melhores a nível de livros de espionagem e mesmo sabendo que atualmente a mesma é feita de forma totalmente diferente, o livro foi escrito em 1963, logo no tempo da chamada guerra fria e está muito bem desenvolvido, com personagens cativantes, um enredo bem pensado e com uma escrita muito fluída o que ajuda a ler o livro rapidamente.

Sempre imaginei a coragem que tem que se ter para se ser espião, ter a vida em constante perigo, coloco aqui um excerto do livro:

"Um homem que representa um papel, não para os outros, mas sozinho, expõem-se a perigos psicológicos evidentes. Em si mesmo, o logro não é particularmente difícil; trata-se de uma questão de prática, de perícia profissional, de uma habilidade, em suma, que muitos de nós podemos adquirir. Mas enquanto um vigarista, um actor ou um batoteiro podem regressar da ribalta às fileiras dos seus admiradores, o agente secreto não goza dessa possibilidade. Para si, o embuste é, antes de mais, uma estratégia de auto-defesa. Tem de proteger-se do interior e do exterior e contra os impulsos mais naturais. Mesmo que ganhe uma fortuna, o seu papel pode impedi-lo de comprar nem que seja uma lâmina; mesmo que seja erudito, pode ver-se obrigado a tartamudear apenas banalidades; mesmo que seja um marido afetuoso, terá de ocultar a sua vida àqueles em quem, naturalmente devia confiar"

O livro está muito bem estruturado onde vamos sendo surpreendidos com diversos acontecimentos, tendo um final muito bem conseguido e claro um livro que levanta muitas questões morais, como por exemplo : Terá o espião sentimentos em relação a tudo o que tem que fazer para que no final a causa que defende saia vencedora ?

Um livro que de facto nos dá não só uma excelente historia, mas uma visão bem conseguida de como atua e pensa um espião e de uma intensidade psicológica muito forte, onde estamos sempre em suspense.

Soube bem mudar um pouco de livros, um prazer finalmente ler este escritor e garantidamente tentarei ler em breve o Espião Perfeito, livro que já estou à imenso tempo para ler e que tem estado à minha espera na estante :)

Grande livro, recomendo

domingo, 27 de outubro de 2013

Vencedor do passatempo A Canção de Kali



Chegou o momento de anunciar o vencedor de mais um passatempo feito no blogue que é:

Maria da Conceição Ruas da Trindade Maçarico Bernardes

Desde já os meus parabéns e espero que gostes tanto do livro como eu gostei :)

Aos que não ganharam, agradeço a participação e não percam a esperança, espero haver mais passatempos no blogue :)

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A Canção de Kali de Dan Simmons




Sinopse:

Um manuscrito com poderes inimagináveis. Uma seita de assassinos disposta a tudo para o possuir 

Robert Luczak, jornalista e editor, é enviado a Calcutá para recuperar um manuscrito de uma raridade incalculável. O seu autor é um obscuro poeta indiano que morreu há quase dez anos. O manuscrito, no entanto, é mais recente, e estranhos rumores dizem que o autor ressuscitou para escrever essa obra.Aconselhado por um amigo a não aceitar a missão, Robert ignora o aviso e até leva a mulher e a filha recém-nascida. Uma decisão que o irá atormentar para o resto da vida. Calcutá é um lugar selvagem, agressivo, imundo e infinitamente estranho. Logo que chega Robert é arrastado para as entranhas da cidade e descobre que não é o único a perseguir o valioso manuscrito. O Culto de Kali - uma temível seita que conspira para invocar a Deusa da Morte e libertá-la sobre a Terra - está disposto a tudo para o encontrar: sangue, morte e até sacrifícios humanos.A Canção de Kali é a história de um homem disposto a ir ao próprio Inferno e a arriscar muito mais do que a vida. E você... está pronto para ouvir esta canção?

Opinião:

Sem dúvida um bom livro, onde a sinopse, praticamente resume e bem tudo o que este tem para oferecer. 

É impressionante a escrita do Simmons, o realismo e a forma como nos consegue transmitir a vida da cidade de Calcutá, chegando ao ponto de nos fazer sentir incomodados com algumas descrições pela sua violência e crueldade. Ficamos com a sensação de sentir os cheiros e a viver o próprio ambiente de uma forma bastante real. 

O enredo está bem pensado, acredito que se baseie em alguma viagem que o próprio escritor tenha feito à Índia e que a tenha transposto para o livro, onde, além de nos transmitir a imagem que tem da mesma, acrescenta, com arte, algumas questões morais, que aos olhos de um ocidental são verdadeiramente chocantes. 

O livro acaba por ter vários pontos interessantes, mas há um momento que marca o virar do enredo, para algo ainda mais atraente, que é o encontro com o poeta Das e a partir dai a narrativa torna-se bastante mais cativante. É óbvio que há outros momentos importantes, como o encontro de Robert Luczak e Chatterjee, onde existe um diálogo muito interessante, que nos faz refletir sobre as diferentes culturas em jogo no enredo. 

Ainda assim devo confessar que foi um livro que não me marcou tanto como O Terror, uma vez que este foi o que me levou a ler mais livros do escritor. 

O final foi, quanto a mim, algo estranho e não vi respostas a algumas questões que esperava serem respondidas, mas acima de tudo não senti empatia com as personagens. 

Não quer com isto dizer que não seja um bom livro, é, complexo e bem descrito, que vale bem a pena ser lido, mas que não me cativou tanto. 

Ainda assim quero ler mais livros do escritor, sem a menor dúvida.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Promoção na compra de 2 leve um 3 grátis




Bem aqui está um promoção que penso que é de aproveitar e vale bem a pena, na compra de dois livros podem escolher qualquer livro da coleção BANG, é de aproveitar e válido até dia 15 de novembro :)

Mais pormenores aqui

É de aproveitar :)

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O Rei do Inverno, volume I da Trilogia dos Senhores da Guerra de Bernard Cornwell



Sinopse:

Bernard Cornwell é um milagre literário. 

Uther, Rei Supremo da Bretanha, morreu, deixando o seu filho Mordred como único herdeiro. Artur, o seu tio, um leal e dotado senhor de guerra, governa como regente numa nação que mergulhou no caos - ameaças surgem dentro das fronteiras dos reinos britânicos, enquanto exércitos saxões preparam-se para invadir o território. Na luta para unificar a ilha e deter o inimigo que avança contra os seus portões, Artur envolve-se com a bela Guinevere num romance destinado a fracassar. Poderá a magia do velho mundo de Merlim ser suficiente para virar a maré da guerra a seu favor? O primeiro livro da Triologia dos Senhores da Guerra de Bernard Cornwell lança uma nova luz sobre a lenda arturiana, combinando mito com rigor histórico e as proezas brutais nos campos de batalha.

Opinião:

Hoje não tenho a menor dúvida, em afirmar que a Editora Saída de Emergência publica grandes Romances Históricos e que, na minha opinião, não são devidamente divulgados pela Editora, mesmo sendo um género em que esta aposta bastante.

Podia falar de imensos casos, mas indico a série Asteca onde nos é contada a ascensão e queda desse grandioso Império, As aventuras de Flashman, um cobarde com mais sorte que alguém possa imaginar e Os Leões de Al Rassan, onde o cenário se situa durante o período da invasão Árabe à Península Ibérica, como alguns dos exemplos de grandes obras publicadas pela Editora, neste género literário.

Quanto à leitura desta trilogia, dos Senhores da Guerra, era algo que desejava há imenso tempo, pois embora já tenha lido imensos livros do escritor, (sendo a Saga Saxônica a que mais gostei até ao momento), sempre vi referências a que era esta a sua obra-prima.

Este livro deixou-me completamente rendido, funcionando até muito bem como stand-alone, pois o livro encerra um ciclo em que ficamos plenamente satisfeitos. Mas ainda bem que há mais e se mantiver o nível aqui apresentado, junto-me àqueles que referem que estamos perante a melhor obra do escritor.

Estava um pouco relutante em ler esta trilogia, pois como podem ver centra-se na Idade da Trevas, um período onde existe muito pouca informação, mas sobre o qual muito já se escreveu. Já li, por exemplo, as Brumas de Avalon da MZB, A Tapeçaria de Fionavar do Gavriel Kay (embora que apresente um Artur mais para o Fantástico e não tanto como Romance Histórico) e este ano tinha acabado de ler o brilhante Ciclo Pendragon de Stephen Lawhead, que é, quanto a mim, a saga mais completa sobre Artur.

Por outro lado como já tinha lido vários livros de Benard Cornwell, conhecia um pouco o seu método de escrever, o que torna a leitura mais atraente, uma vez que ele nos apresenta um bom estudo do período/época sobre o qual está a escrever, personagens cativantes e as descrições de combates muito boas.

Mas acabei por ser surpreendido à medida que ia avançando com a leitura do livro, pois as personagens chave deste período, Merlim, Artur e Morgana, são-nos apresentadas de uma forma bem diferente de todas as outras já tão descritas por tantos escritores. E se pensam que será Artur a personagem mais cativante (até o pode ser), mas podem ter seguramente a certeza que irão ser surpreendidos pela positiva, uma vez que a história é-nos contada por Derfel, um Saxão que se torna aliado de Artur, e que, para mim, constitui uma personagem muito bem desenvolvida.

Para quem goste do período medieval, tem aqui as eternas lutas dos Bretões contra a invasão dos Saxões, lealdades, mortes cruéis, diferenças de ideologias, onde o Cristianismo se opõe ao conhecimento antigo (druidas), personagens muito bem desenvolvidas, intrigas politica, questões de honra, traições, tudo ingredientes para considerar que esta trilogia tem tudo para se tornar numa das minhas preferidas de Romance Histórico.

Mais que recomendado.

Romances Históricos com a Revista Sábado



a revista Sábado vai disponibilizar romances históricos a €4,99 a partir de dia 31 de outubro. Os livros são da Saída de Emergência e, a cada semana, até dia 28 de novembro, vão estar à escolha três títulos.

Para saber mais podem consultar aqui

A não perder as aventuras de Flashman, mais do que recomendado, tal como Sonho Febril de George Martin e claro um dos grandes mestres Bernard Cornwell que me está a encantar com a trilogia dos Senhores da Guerra  ;)

Aceitam-se sugestões :)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Passatempo - A Canção de Kali de Dan Simmons



Um manuscrito com poderes inimagináveis. Uma seita de assassinos disposta a tudo para o possuir Robert Luczak, jornalista e editor, é enviado a Calcutá para recuperar um manuscrito de uma raridade incalculável. O seu autor é um obscuro poeta indiano que morreu há quase dez anos. O manuscrito, no entanto, é mais recente, e estranhos rumores dizem que o autor ressuscitou para escrever essa obra. Aconselhado por um amigo a não aceitar a missão, Robert ignora o aviso e até leva a mulher e a filha recém-nascida. Uma decisão que o irá atormentar para o resto da vida. Calcutá é um lugar selvagem, agressivo, imundo e infinitamente estranho. Logo que chega Robert é arrastado para as entranhas da cidade e descobre que não é o único a perseguir o valioso manuscrito. O Culto de Kali - uma temível seita que conspira para invocar a Deusa da Morte e libertá-la sobre a Terra - está disposto a tudo para o encontrar: sangue, morte e até sacrifícios humanos.

A Canção de Kali é a história de um homem disposto a ir ao próprio Inferno e a arriscar muito mais do que a vida. E você... está pronto para ouvir esta canção?


Passatempo

Olá a todos, 

 Em parceria com a Saída de Emergência temos para oferecer um exemplar deste livro, do qual tive o prazer de recentemente ler O Terror, um livro verdadeiramente brilhante. Ainda não tive oportunidade de ler este livro mas conto lê-lo brevemente. 

 Para se habilitarem a o prémio deverão responder correctamente à pergunta abaixo e preencher os vossos dados dando atenção ao regulamento.

As respostas devem ser enviadas para o mail paulodores123@gmail.com

Qual a deusa a que a seita invoca ?
Nome Completo
Morada Completa
Nome de seguidor no blogue

 Regulamento:
- O passatempo decorre até às 23:59 do dia 25 de outubro, sendo excluídas todas as respostas que chegarem depois desse prazo. - Apenas será aceite uma participação por cada pessoa, por cada email e por cada morada. - Além da correcção das respostas às questões lançadas, também o preenchimento dos dados pessoais são factor de exclusão, devendo por isso corresponderem às normas como são solicitados. - O premiado será escolhido entre aqueles que apresentarem uma participação válida e a escolha será definitiva a menos que se apresente um caso de fraude.
- A escolha é feita através de um sistema de selecção aleatória. 
- O blogue reserva-se ao direito de fazer uma selecção das respostas validadas quando se apresentarem circunstâncias duvidosas da legitimidade da origem das mesmas.
- O nome do vencedor será publicado neste blogue e os mesmo será avisado por email.
- Em caso de não concordar com alguma destas regras, deverá abster-se de participar. 
- Deverão ser seguidores do blogue. 

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Vencedor do Passatempo a Filha do Império e Serva do Impário













A vencedora deste primeiro passatempo do blog é:

Helena Isabel Guerreiro Muralha Bracieira

Desde já os meus parabéns, agradeço a todos os participantes e desde já pedir que não percam a esperança, em breve haverá outro passatempo no blog, estejam atentos :)

domingo, 13 de outubro de 2013

Windhaven - George Martin e Lisa Tuttle



Venha mergulhar neste mundo maravilhoso que George R. R Martin desenhou com a mestria e talento que fazem dele… o novo Tolkien.

George R. R. Martin, mundialmente famoso pela saga épica de A Guerra dos Tronos, alia-se a Lisa Tuttle na criação do mundo de Windhaven, um planeta que se tornou o refúgio dos humanos após um desastre espacial. Constituído por pequenas ilhas, clima impiedoso e mares infestados de monstros, Windhaven é uma terra que tem tanto de sonho como de pesadelo.

Ao descobrirem neste novo planeta a habilidade de voar com asas de metal, os voadores de asas prateadas tornam-se a elite e levam a todo o lado notícias, canções e histórias. Atravessam oceanos, enfrentam as tempestades e são heróis lendários que enfrentam a morte a cada golpe traiçoeiro do vento.

Maris de Amberly, filha de um pescador, foi criada por um voador e nada mais deseja do que conquistar os céus de Windhaven. A sua ambição é tão forte que a jovem desafia a tradição para se juntar à elite. Mas cedo irá descobrir que nem todos os voadores estão dispostos a aceitá-la e terá de lutar e arriscar a vida pelo seu sonho. Conseguirá Maris vencer ou tornar-se-á uma testemunha do fim de Windhaven?


Opinião:

George Martin é um dos meus escritores favoritos, já fui por diversas vezes surpreendido pelas surpresas que nos prega. Adoro A Guerra dos Tronos que é uma serie amplamente conhecida e onde o escritor, quanto a mim, é genial. Só desejo que acabe a saga tal como a começou, isto é bem e embora me pareça, que o escritor andou ali um pouco perdido no último livro, os últimos capítulos deixaram-me tranquilo e com a certeza que o melhor ainda está para chegar. 

Mas quis experimentar ler outros livros do escritor e que bela surpresa foi ler o seu livro, “Sonho Febril”, escrito há imenso tempo, muito antes de toda esta onda sobre vampiros, considero ser um dos melhores livros dentro do género (sobre vampiros).

Não li, ainda, os livros de contos do escritor onde muitos deles visam a FC, como por exemplo "O Cavaleiro de Westeros e outras histórias" (curiosamente o único livro que tenho autografado pelo escritor), pois não sou muito de ler livros de contos, embora já tenha lido alguns e de qualidade como a Voz do Fogo de Alan Moore. No entanto, nunca pensei ser surpreendido com tanta qualidade do escritor a nível de FC, neste “Windhaven” que deve ter sido o livro que li mais rápido, tal a ansia que o livro me provocou. Agora entendo bem o porquê de várias pessoas elogiarem tanto o seu trabalho de FC, fiquei completamente satisfeito com este livro e com vontade de ler mais histórias do escritor neste género literário. 

O livro tem tudo de bom a que Martin já nos habituou e acaba por ser um livro com uma escrita muito fluída, com um universo bem planeado, consistente, bem preparado e com personagens que rapidamente nos conquistam. 

Constituído por 3 novelas sempre com Maris como personagem central, que foi crescendo imenso à medida que o livro avança, qualquer uma destas novelas nos cativa. Se a primeira é bem desenvolvida, a segunda apresenta-nos outra personagem, bem complexa e interessante, que dá o nome à novela Val, também conhecido como Monoasa , e que veio revolucionar por completo o desenvolvimento do enredo. Depois temos um final muito bem conseguido. 

Um livro comovente, onde sofremos pelos personagens, desejando que consigam concretizar os seus objetivos, que fala de liberdade, na luta contra uma sociedade estagnada e com leis injustas, da necessidade da respetiva mudança, de justiça, de valores e que nos cativa desde a primeira página, levando-nos ao ponto de nos emocionar em vários momentos. 

Não sei mais como elogiar o livro, mas para terminar quero partilhar convosco a forma como acabei por ler os livros do universo das Jóias Negras da Anne Bishop. No seu primeiro livro vinha uma citação que o livro iria agradar a todos os admiradores da escritora Juliet Marillier. Na altura andava fascinado com a Juliet e levou-me a ler os livros da Anne Bishop. Embora não tenham nada a ver, estilos completamente diferentes ainda assim tinham algo em comum, a qualidade dos universos criados. 

Assim deixo a minha citação pessoal: 

"A todos os admiradores de Anne Bishop, Juliet Marillier, Robin Hobb e mesmo Jacqueline Carey, leiam este livro e no final sentirão o fascínio de ter lido uma bela historia....algo verdadeiramente MÁGICO"