quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

O Hobbit - Tolkien


Sinopse:
Esta é a história da aventura de um Baggins, que deu consigo a fazer e a dizer coisas completamente impensáveis…


Bilbo Baggins é um hobbit que desfruta de uma vida confortável e sem qualquer ambição. Ele raramente se aventura em viagens, não indo mais longe do que até à dispensa de sua casa, no Fundo do Saco. Mas este conforto será perturbado por Gandalf, o feiticeiro, e por um grupo de treze anões, que num belo dia chegam para o levar numa viagem «de ida e volta». Eles têm um plano para pilhar o espantoso tesouro de Smaug, o Magnífico, um dragão enorme e extremamente perigoso. Encontros inesperados com elfos, gnomos e aranhas gigantes, um dragão que fala, e ainda a presença involuntária na Batalha dos Cinco Exércitos, são apenas algumas das experiências por que Bilbo passará.

"O Hobbit" é o prelúdio de "O Senhor dos Anéis" e já vendeu milhões de cópias desde a sua publicação, em 1937. É claramente um dos livros mais amados e influentes do século XX.

«Uma obra-prima incomparável.»
The Times

Por curioso que pareça aquilo que sempre critiquei em Tolkien, ser muito descritivo, neste livro não acontece e acaba por ser uma leitura muito mais agradável, para mim, embora reconheça que não tem a grandeza do que se segue, mas isso fica para mais à frente.

Quanto ao livro, que tive o prazer de ler em leitura conjunta, gostei bastante, embora tenha tido um arranque algo fraco, pois de inicio pensei que cada vez que o grupo se mete-se numa "alhada" estaria lá Gandalf para os salvar, foi com contentamento (embora tenha sido sempre uma mais valia o seu aparecimento ao longo do livro) que o vi sair de cena, perto da Floresta Tenebrosa, ficando assim os 13 anões e o nosso amigo Bilbo sozinhos para prosseguirem a sua demanda e foi o que fizeram. 

Não vou estar agora a descrever ao pormenor cada dificuldade passada, mas nunca pensei vir a gostar tanto de Bilbo, mostrou ser um Hobbit à altura dos acontecimentos, por vezes bafejado pela sorte, outras vezes devido à astucia e agilidade, o que é verdade é que mostrou que Gandalf fez a escolha certa para acompanhar os anões na sua Demanda. 

Não esperava é que Smaug tivesse tão pouco tempo de antena, mas ainda assim foi dos dragões que mais gostei de conhecer em vários livros que li da fantasia, excelente. 

Agora o que não estava preparado era para um final tão bom de livro, algo que aconteceu na 3ª fase da leitura conjunta, tudo bem planeado, bem descrito e sem demoras e com diálogos geniais antes de tudo acontecer. Adorei o diálogo de Thorin no leito da sua morte para com Bilbo:

"Há mais de bom em vós do que sabeis, filho do género Ocidente. Alguma coragem e alguma sabedoria, misturadas na devida quantidade. Se mais de nós apreciássemos comida, alegria e canções acima de ouro entesourado, o mundo seria mais alegre...."

Pena ainda que Gollun tivesse aparecido tão pouco, mas isso acabamos por ser recompensados nos livros seguintes.

E isso é que me leva a partilhar alguma informação adicional, para se perceber que foi a partir deste livro que o escritor criou algo tão genial que foi a trilogia do senhor dos anéis, essa sim uma trilogia muito superior e com muito mais qualidade, impressionante ver que com base neste livro o que o escritor criou....o que mais me surpreende neste livro ;)


“Num buraco no chão vivia um hobbit"



A ideia de seu primeiro grande sucesso, O Hobbit, surgiu em 1928, enquanto Tolkien examinava documentos de alunos que queriam ingressar na Universidade e Tolkien contou que um dos alunos deixou uma das páginas em branco – possivelmente a melhor coisa que poderia ocorrer a um examinador – e eu escrevi nela: Em um buraco no chão vivia um hobbit, não sabia e não sei por quê.

— Tolkien
Foi a partir desta frase que ele começou a escrever O Hobbit, somente dois anos depois, mas o abandonou a meio.

Tolkien emprestou o manuscrito incompleto para a Reverenda Madre de Cherwell Edge na época, quando esta estava doente, e ele foi visto por Susan Dagnall, uma bacharel de Oxford , que trabalhava para Allen & Unwin (comprada em 1990 pela Editora Harper Collins) e analisado depois por Rayner Unwin (filho de Stanley Unwin, fundador da Allen & Unwin, na época com 10 anos de idade) que ficou maravilhado com a história. Dagnall ficou tão encantada com o material que encorajou Tolkien para que ele terminasse o livro, e em 1937 é publicada a primeira edição de O Hobbit.

A saga do hobbit Bilbo – um ser baixo, pacato, de pés peludos e grandes, que se aventura na Terra Média ao lado do mago Gandalf e mais treze anões – teve tanto sucesso que Tolkien foi sondado para novas aventuras. Tolkien oferece O Silmarillion, que ele considerava a sua principal obra, pese embora o fato de que, mesmo hoje, não seja a mais conhecida. Stanley Unwin preferiu não arriscar e não publicou a obra. Mesmo depois da recusa, Tolkien concordou em continuar a saga dos hobbits e começa a dar forma a uma nova obra, que lhe consumiu doze anos de trabalho desde os primeiros rascunhos até a sua conclusão, mas que o tornaria um dos mais conceituados escritores de todos os tempos: O Senhor dos Anéis.

O elo para a nova aventura surge no Anel que Bilbo rouba de Gollum em O Hobbit. Os primeiros rascunhos da obra datam de 1937, mas devido ao seu perfeccionismo, que o impelia a ter de fazer vários rascunhos para cada uma de suas obras, foi somente em 1949 que O Senhor dos Anéis foi para as mãos de sua editora. Durante este longo tempo, Tolkien também escreveu Leaf by Niggle em que o autor se manifesta de forma autobiográfica, projetando-se em Niggle, com suas dúvidas sobre o trabalho que estava escrevendo, "O Senhor dos Anéis", e sua relevância. Esse livro consolidava então o que Tolkien chamava de Mundo Secundário, com novas normas, novos povos, uma realidade à parte: Arda, o cenário de uma das maiores obras literárias de todos os tempos. "Arda" é a Terra, povoada por seres fantásticos, como os Valar, os Maiar, e os mais conhecidos, hobbits, elfos, anões, trolls, orcs e cercada de mistérios e magia:

[Criei] um Mundo Secundário no qual sua mente pode entrar. Dentro dele, tudo o que ele relatar é "verdade": está de acordo com as leis daquele mundo. Portanto, acreditamos enquanto estamos, por assim dizer, do lado de dentro.


Fonte e mais informações aqui:


Livro 7 de 2013 - (Inglaterra) - 9/10

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Anne Bishop - Trilogia das Jóias Negras


Sinopse:
Há setecentos anos atrás, num mundo governado por mulheres e onde os homens são meros súbditos, uma Viúva Negra profetizou a chegada de uma Rainha na sua teia de sonhos e visões. Agora o Reino das Sombras prepara-se para a chegada dessa mulher, dessa Feiticeira que terá mais poder do que o próprio Senhor do Inferno. Mas a Rainha ainda é nova, passível de ser influenciada e corrompida.E quem controlar a Rainha controlará o mundo. Três homens poderosos — inimigos de sangue — sabem isso. Saetan, Lucivar e Daemon apercebem-se do poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. E assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, onde as armas são o ódio e o amor. E o preço pode ser terrível e inimaginável.

A trilogia é composta ainda pelos livros Herdeira das Sombras e Rainha das Trevas


Anne Bishop vive em Upstate New York onde gosta de passar o tempo a jardinar, ouvir música, e a escrever negros romances. É autora de vários romances, incluindo a premiada Trilogia das Jóias Negras.

Depois de publicar tantas escritoras que gosto, não seria justo deixar de fora esta escritora, que por acaso o que me levou a ler, foi um comentário onde a Juliet Marillier foi mencionada e pensei ter algo a ver, tem ambas são excelentes escritoras e vale bem a pena ler ;)

Devo dizer que é um universo algo difícil de se compreender e que não nos deixa logo cativados, vários locais onde o enredo se passa, várias personagens e com um inicio que nos deixa algo confuso e perdidos, no fundo a lembrar o inicio da saga Kushiel, onde tudo está a ser preparado e só com a leitura do segundo volume se consegue perceber o que de bom a saga tem para oferecer (devido a ter sido dividido).

Mas se formos pacientes seremos devidamente recompensados isso sem a menor duvida, pois apresenta um enredo complexo, mas que com o avançar da saga nos vai deixando cativados e posso dizer até algo diferente do habitual.

Apenas duas coisas aponto a esta escritora que inclui todos os restantes livros que li sobre o universo dos "sangue" a escritora nunca apresentou um "bom vilão", embora até tenha gostado de duas rainhas  logo no inicio da saga, não vou referir nomes, mas a escritora nunca teve a coragem de pelo menos na trilogia "eliminar" uma personagem "chave" do enredo que nos deixe ficar completamente KO, mas isto, admito, ser por gostar tanto de George Martin :D

Seja como for é uma trilogia que recomendo sem reservas, que me proporcionou muitos bons momentos de leitura e que mesmo não estando em risco de não ser publicada e ainda bem, não deixo de a divulgar para quem não conheça ;)

Subscrevo,

“Anne Bishop traz-nos uma trilogia única no panorama de fantasia. Não há nada que se assemelhe. Tornou-se uma autora incontornável” – Chicago Tribune 

“ Tremendamente sensual…ricamente detalhado, o cenário de Bishop é baseado num mundo onde se revertem todos os clichés do género fantástico. Simplesmente genial” – Library Journal 

Sei que tem outras sagas boas, já me informaram e pelo que tenho acompanhado devia dar uma oportunidade ao universo Trilogia World of the Fae, mas quanto a esses universos deixo para quem quiser recomendar / divulgar :D

Aproveito para publicitar que está ai um novo livro da autora, de um universo totalmente diferente e que pertence a outro universo:




Uma novela pertencente ao mundo Efémera

Numa aldeia vizinha da cidade de Visão ninguém conhece o sabor da mágoa e da angústia, mas essa comunidade, aparentemente idílica, esconde um segredo tenebroso. Quando era pequena, Nalah não percebia porque a mandavam levar um bolo à menina muda a quem chamavam «A Voz» sempre que se sentia mal. Sabia apenas que isso a ajudava a melhorar. Já crescida, desvenda esse mistério e anseia por fugir da aldeia opressiva onde sempre viveu. Só depois de visitar a cidade de Visão e de conhecer o Templo das Mágoas, compreende o que tem de fazer para se libertar…


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Goor - A Crónica de Feaglar - Pedro Ventura



Olá,

Embora corra o risco de estar a ir contra os objetivos do meu blogue, não me custa ajudar a divulgar o trabalho de pessoas amigas, neste caso virtual e mesmo não tendo ainda lido, há imenso tempo que ouço falar bem dos seus livros. 

Penso que não eram livros fáceis de encontrar, mas finalmente o problema encontra-se resolvido e se tudo correr bem quem sabe até não venha a comprar o livro e até conhecer o Pedro Ventura, ao qual desejo desde já a maior sorte.

Poderão saber mais pormenores e até alguns comentários no link que deixo em baixo do escritor:



Também no meu grupo do FB existem vários comentários aos seus livros



Penso não estar enganado ao afirmar que estamos na presença de um excelente escritor, se alguém leu e queira partilhar o que acharam sobre o livro, à vontade ;)


PS: Pedro Ventura ficas-me a dever uma bejeca, não peço mais :D

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Juliet Marillier

Esta é uma das minhas escritoras favoritas que teve o condão de me devolver novamente o gosto e o hábito pela leitura.

Curiosamente o primeiro livro que li dela foi o Espelho Negro pertencente Ás Cronicas de Bridei e a partir dai nunca mais parei até que tivesse tudo lido da escritora.

Seguramente muita gente já leu os seus livros e este comentário pouco adianta, mas para quem não leu, acreditem que é uma escritora que vale bem a pena ler, qualquer uma das trilogias.

 Aqui deixo a sinopse dos seus primeiros volumes ;)



Trilogia Sevenwaters: - Sinopse da Filha da Floresta livro I



Sinopse: Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era Lei e a magia uma força da Natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos.

O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e Criaturas Encantadas que deslizam pelos bosques vestidos de cinzento e mantêm armas afiadas. Os invasores de fora da floresta, os salteadores do outro lado do mar, os Bretões e os Viquingues, estão todos decididos a destruir o idílico paraíso. Mas o mais urgente para os guardiões é destruir o traidor que se introduziu dentro do domínio: Lady Oonagh, uma feiticeira, bela como o dia, mas com um coração negro como a noite. Oonagh conquista Lorde Colum com os seus sedutores estratagemas,; mas não consegue encantar a prudente Sorcha. Frustrada por não conseguir destruir a família, Oonagh aprisiona os irmãos num feitiço que só Sorcha pode quebrar. Se falhar, continuarão encantados e morrerão!

Então os salteadores chegam e Sorcha é capturada, quando está apenas a meio da sua tarefa… Em breve vai ver-se dividida entre o seu dever, que lhe impõe que quebre o encantamento, e um amor cada vez mais forte, proibido, pelo senhor da guerra que a capturou.

Fazem parte da trilogia ainda O Filho das Sombras e a Filha da Profecia 


Recomendo, a quem ainda não tenha lido nada desta escritora, que comece por esta trilogia (embora tenha continuação para mim devia ter ficado apenas como trilogia, mas infelizmente a Editora Americana pediu para que a escritora continuasse a escrever mais livros deste universo e mesmo sendo bons livros, acabou por tirar alguma da magia que a trilogia tinha, embora só tenha lido ainda O Herdeiro de Sevenwaters, mas notou-se ali claramente não estar ao nível dos anteriores, mas atenção não deixam de ser um bom livro).

Não querendo revelar muito do enredo, são muitas as personagens que nos fascinam (temos até um excelente vilão :D ), o enredo é todo muito bem planeado e temos sempre um volte-face que nos deixa surpreendidos, e claro uma escrita que nos deixa completamente viciados e ansiosos por ler mais.

Pronto um pequeno Spoiler, no segundo volume irão conhecer um corvo de nome Fiacha, terá a sua importância para o desfecho final, mais não posso revelar :D

Nota negativa apenas para o título do livro 3, embora eu, sinceramente, nem tenha dado por ela :D




Sinopse - O Filho de Thor - A Saga das Ilhas Brilhantes I - Juliet Marillier



Este é o primeiro dos dois volumes que compõem a nova série intitulada A Saga das Ilhas Brilhantes, da aclamada autora do fantástico Juliet Marillier - comummente comparada a Marion Zimmer Bradley. Depois da série Sevenwaters, com a qual recebeu vários prémios internacionais, Marillier recua agora ao tempo dos viquingues. Eyvind sempre desejou ser um grande guerreiro viquingue - um Pele-de-Lobo - mas o seu amigo de infância Somerled tem outros planos para o futuro. Apesar do juramento que fizeram quando crianças, Eyvind e Somerled acabam por seguir caminhos diferentes: o primeiro transforma-se num feroz servidor de Thor e o outro um cortesão erudito. Mas o destino acabará por reuni-los em circunstâncias misteriosas...


A saga é composta ainda por mais um livro A Mascara de Raposa

Relativamente a esta saga, claramente com um enredo baseado nos povos nórdicos, é igualmente muito boa e é onde a escritora nos dá a conhecer a minha personagem preferida por ela criada. Muito gira em torno das suas ações, complexo, cruel, uma personagem que ficará para sempre gravada na nossa memória...a minha única duvida (para eleição de melhor personagem) é mesmo a existência de um certo espião numa outra saga que é igualmente tão complexo como este que estou a referir mas por motivos diferentes. Mesmo quando passamos para o volume dois ele está sempre presente nos nossos pensamentos.

Óbvio que a saga tem muito mais para oferecer, momentos de crueldade, momentos comoventes e claro mais uma saga que será devorada seguramente. É complicado comentar sem fazer spoilers dai não querer revelar muito mais do enredo.

Apenas tive pena que não tivesse existido um reencontro entre duas personagens, tinha gostado, mas pronto acabou por ficar bem assim.

Quem me dera que a escritora tivesse publicado mais um livro desta saga. 




O Espelho Negro - As Crónicas de Bridei Volume I


Escócia, século VI. Bridei tem quatro anos quando os seus pais o confiam a Broichan, um poderoso druida do reino de Fortriu, com quem aprenderá a ser um homem erudito, um estratega e um guerreiro. Bridei desconhece que a sua formação obedece ao desígnio de um concelho secreto de anciãos e que está destinado a desempenhar um papel fundamental no destino do instável reino de Fortriu.

Porém. Algo irá mudar para sempre o seu mundo e, provavelmente, arrasar os planos de Broichan: Bridei encontra uma criança, ao que tudo indica abandonada pelos Boas-Gente. Todos concordam que o melhor será assassiná-la, mas Bridei decide salvá-la a todo o custo. E assim, ambos crescem juntos, e a bebé Tuala transforma-se numa bela mulher. 


Contudo, Broichan presente o perigo que ela representa, pois a jovem poderá vir a ter um papel importante no futuro de Bridei… ou causar a sua perdição.

Fazem parte da trilogia ainda A Espada de 
Fortriu e O Poço das Sombras


Para mim os melhores livros da escritora, novamente mágicos e onde penso que a Juliet atinge a maturidade na sua escrita. Sei que muita gente prefere a trilogia Sevenwaters, mas para mim estes são os seus melhores livros. É igualmente aqui que conhecemos uma personagem, que é de uma complexidade extraordinária, ninguém lhe fica indiferente e aparece assim do nada, mais não posso revelar.

Entretanto li mais uns livros da escritora, mas que embora sejam bons não têm a magia destas três sagas acima descritas, num dos casos os livros são para o publico mais juvenil (Danças na Floresta e Segredo de Sibele) e no outro caso a história acabou por ser algo previsível (Sangue de Coração) mas continuo a dizer que sendo livros da Juliet valem bem a pena ;)

Entretanto e sobre a escritora, já tive a felicidade de estar junto dela conforme partilhei nesta mensagem :



Só por curiosidade no almoço estive junto de uma jovem que era mesmo admiradora da Juliet, penso que me confessou já ter lido os livros da Juliet imensas vezes, ao falar com ela sobre a Juliet a jovem até estava comovida só de falar sobre os seus livros :D, foi realmente um dia marcante.

Bem fica o meu contributo para mais uma vez divulgar os livros desta grande senhora

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Hobbit



Leitura conjunta no cantinho: o Hobbit. é uma leitura que estou a gostar muito e de facto é uma leitura bem mais acessível aquela do senhor dos anéis.

Admirável é também a magnifica história de Bilbo que tantos anos antes de partir novamente para Rivendell, partilha a sua grande aventura nas montanhas solitárias.

Também excelente está o filme, que cruza a história de Bilbo com a de personagens que até então não conhecia. que acharam do filme?

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Informação

Olá,

Ao criar o blogue tinha como objetivo principal saber e comentar os livros lidos em 2013, para meu controlo.

Posteriormente, pensei ser uma boa ideia para o blogue partilhar com todos, os meus escritores favoritos, bem como promover livros que já tinha lido e que seria de todo útil divulgar.

Para que pudesse fazer de maneira a dar mais "destaque" aos livros / escritores acabei em vez de dar apenas a minha opinião pessoal, utilizar também comentários que poderiam transmitir uma mensagem melhor da qualidade do livro / escritor com textos que vi escritos por outros, acabando por utiliza-los. (algo público afinal).

Não o fiz com intenção de enganar ninguém, para promover o meu blogue, até porque felizmente até me falta tempo para conseguir ler todos os livros que tenho emprestados, quanto mais os que tenho meus, mas pronto não é isso o objetivo desta mensagem.

Reconheço que devia no mínimo ter perguntado às pessoas em causa se poderia utilizar os seus comentários e explicar o motivo de o fazer e claro se não se importavam.

Posto isto, vou editar todos os comentários onde utilizei parte dos textos que não são meus, logo que tiver oportunidade.

A todos os visados peço desculpas com a promessa que não se voltará a repetir e disponível para qualquer esclarecimento, até porque parte das pessoas são minhas conhecidas.


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Parceria com a Saída de Emergência



Olá,


Venho anunciar que o blogue conseguiu mais uma parceria, mas esta para mim não é uma parceria qualquer, é somente com a minha Editora preferida.


A Editora que me abriu portas para muita coisa e do qual não tenho problema nenhum em afirmar que tiro a camisola para ajudar.


Como devem imaginar só posso estar feliz e mais uma vez tenho de vos agradecer a todos o quanto me têm ajudado no blogue, ao virem visitar, ao comentarem, pois é algo que me motiva.

Estou orgulhoso e feliz :D

sábado, 16 de fevereiro de 2013

As Mentiras de Locke Lamora - Scott Lynch



Sinopse

O romance que apanhou de surpresa o mundo da fantasia


Diz-se que o Espinho de Camorr é um espadachim imbatível,um ladrão mestre, um amigo dos pobres, um fantasma que atravessa paredes. De constituição franzina e quase incapazde pegar numa espada, Locke Lamora é, para mal dosseus pecados, o afamado Espinho. As suas melhores armas são a inteligência e manha à sua disposição. E embora seja verdade que Locke roube dos ricos (quem mais vale a pena roubar?), os pobres nunca vêem um tostão. Todos os ganhos destinam-se apenas a ele e ao seu bando de ladrões: os Cavalheiros Bastardos. O submundo caprichoso e colorido da antiga cidade de Camorr é o único lar que o bando conhece. Mas tudo vai mudar: uma guerra clandestina ameaça destruir a própria cidade e os jovens são lançados num jogo de assassinos e traidores onde terão de lutar desesperadamente pelas suas vidas. Será que, desta vez, as mentiras de Locke Lamora serão suficientes? 


O Autor:

Scott Lynch (1978-) é um autor norte-americano de fantasia que se estreou com a obra As Mentiras de Locke Lamora, tornando-se uma das maiores revelações dos últimos anos. Natural do Wisconsin, teve uma série de empregos até se dedicar a tempo inteiro à escrita. Lynch é também bombeiro voluntário na sua terra natal.

Bem como sabem e fugindo um pouco aos objetivos do blogue ando a divulgar alguns daqueles livros que penso que valem a pena serem lidos, até porque é uma forma de a Editora poder continuar a publicar os seus livros, algo que para já está assumidamente fora de hipótese pela própria, infelizmente.

Como já referi, fico triste por ver nomes como Gavriel Gay, Frank Herbert, Robin Hobb, Jacqueline Carey e outros que tenho vindo a referir não serem publicados por falta de vendas, pois estamos na presença de verdadeiras obras de arte e que são preteridas por outras obras.

Neste caso e só para terem uma ideia se há escritor que teve um inicio de saga tão bom ou mesmo melhor que George Martin este é um dos casos e penso ter sido esse o problema do escritor, escrever logo um livro a este nível. Embora sejam universos diferentes, penso que Lynch em alguns aspetos consegue mesmo ser melhor que Martin.

Pelo que tenho visto o 2º livro do escritor, já publicado, está ao nível do primeiro volume, tendo mais uma vez um final de deixar a suspirar por saber o que vem a seguir. São muitos os leitores que esperam e desesperam pela publicação do 3º volume da saga, algo que se tudo correr bem virá este ano ainda.

Com um enredo brilhante, conta constantes volte faces, personagens cativantes em especial Lamora, um jovem que é preparado para ter que improvisar e manipular e que é posto à prova em situações de cortar a respiração e acima de tudo o leitor será surpreendido através de uma leitura que se revela verdadeiramente viciante.


Seguramente um dos melhores livros da coleção BANG e que se pode ler independentemente dos seguintes pois o livro funciona sem necessidade de se ler os seguintes, mas que é uma crueldade enorme não ler os seguintes, sem duvida ;)




sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Parceria - Chiado Editora



Olá,

É com alegria que o blogue consegue a sua primeira parceria com uma Editora, como é óbvio e até por ser a primeira deixa-me imensamente satisfeito, espero que venha a ser útil para ambos.

Já agora e desta Editora conheço pessoalmente 2 escritores, ou que foram publicados pela Editora.

Li o livro A fantástica aventura dos Anões da Luz - Em busca de Sulti da Catarina Coelho, uma literatura claramente para o público juvenil, mas que posso dizer é uma pessoa muito simpática e claro uma agradável surpresa que foi ler o livro do Vítor Frazão A Vingança do Lobo, um livro muito superior a muita coisa que ai anda publicada, pena não terem continuado a publicar os seus, pois tinha potencial e acima de tudo um escritor nacional ;)

Desde já o meu obrigado a todos, pois são vocês que ao fim ao cabo me incentivam a que continue a tentar melhorar cada vez mais, agradeço obviamente às pessoas que me ajudaram e que sabem são especiais para mim, em especial um pisco e uma raposa, mas outros também :)

Amiga Alforat, obrigado pela ajuda neste processo ;)

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Qual o vosso local preferido para ler - Dia passado com o amigo Marco


Serve a presente para vos dar a conhecer o local onde o corvo mais gosta de ler que é na Praia do Baleal, bem pertinho de Peniche. 

Nada melhor que começar o dia com uma caminhada de cerca de hora e meia, chegar ao local e dar um mergulho, secar apanhando uns banhos de sol e claro saltar para a cadeirinha e pegar no livro que se está a ler no momento. Claro que se pode fazer outras coisas na praia, namorar por exemplo, mas é aqui o meu local preferido para ler ;) 

Adicionei uma outra foto para verem o lado mais selvagem da Ilha do Baleal, vale bem a pena virem até esta zona recheada de locais bonitos para visitar, desde a Nazaré, Óbidos, São Martinho do Porto, Peniche, Cabo Carvoeiro, Foz do Arelho entre muitos outros locais, quem conhece sabe que vale bem a pena :D

Já agora indiquem quais os vossos locais preferidos para ler :)






E por falar em quem conhece, aqui está a única pessoa que até hoje teve, assim o espero :P, o prazer de conhecer o ninho do corvo, bem como a praia e certos locais que atrás referi.

Aqui deixo duas fotos para recordar o momento, foi um dia muito bem passado, verdade seja dita que as fotografas eram muito, mas mesmo muito mais giras que aqui os dois caramelos, mas pronto ficam de fora, pois não se pode partilhar aquilo que mais precioso temos :D

Como já algures referi aqui no blogue, já conheci muita gente, desde Editores, Escritores, Tradutores e muita gente ligada a livros, fiz e tenho amigos com o qual convivo diariamente, mas apenas aqui o amigo Dragão Negro conheceu a minha casa.!!!!!!!

Obrigado pelo dia bem passado que proporcionaram ;)


Duna - Frank Herbet



Sinopse: "Duna é considerado o melhor romance de ficção científica de sempre. Uma obra que arrebatou a crítica com o estilo poderoso de Frank Herbert e conquistou milhões de leitores com a sua imaginação prodigiosa. Prepare-se para uma viagem que nunca irá esquecer, até um longínquo planeta chamado Arrakis… O Duque Atreides é enviado para governar o planeta Arrakis, mais conhecido como Duna. Coberto por areia e montanhas, parece o local mais miserável do Império. Mas as aparências enganam: apenas em Arrakis se encontra a especiaria, uma droga imensamente valiosa e sem a qual o Império se desmoronará.

O Duque sabe que a sua posição em Duna é invejada pelos seus inimigos, mas nem a cautela o salvará. E quando o pior acontece caberá ao seu filho, Paul Atreides, vingar-se da conspiração contra a sua família e refugiar-se no deserto para se tornar no misterioso homem de nome Muad’Dib. Mas Paul é muito mais do que o herdeiro da Casa Atreides. Ao viver no deserto entre o povo Fremen, ele tornar-se-á não apenas no líder, mas num messias, libertando o imenso poder que Duna abriga numa guerra que irá ter repercussões em todo o Império…"


Este é por mim considerado o melhor livro da coleção Bang (desde já o meu muito obrigado à Saida de Emergência por me feito descobrir este diamante) e foi o livro que me abriu as portas para explorar um universo para mim totalmente desconhecido como era a Ficção Cientifica. Foi graças a este escritor que acabei por conhecer, posteriormente nomes como Jack Vance, Philip Farmer, Úrsula le Guin, Roger Zelazny, Dick e a investir em vários livros do genero que ainda pretendo vir a ler.

 É um mundo de ameaças, esplendor e intriga. O Planeta Duna - 10.000 anos em direcção ao futuro; vermes gigantes guardam o mais preciso e inestinável bem, a especiaria "Melange", que permite viajar através do tempo e do espaço. Quem quer que controle a especiaria e os seus segredos, controla o universo.

Com um enredo verdadeiramente rico, personagens cativantes e e uma escrita que chega a ser brilhante, este é quanto a mim um livro de leitura obrigatória e que recomendo vivamente.

Um livro de leitura obrigatória e para mim um dos melhores livros que li até hoje

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Os Leões de Al Rassan - Guy Gavriel Kay


Sinopse

Uma aventura elegantemente escrita e bem trabalhada... tão rápida e ritmada como pensativa.

Imagine uma Península Ibérica de fantasia, durante o período sangrento e apaixonante da Reconquista, onde realidade e fantasia se entrelaçam numa história poderosa e comovente.Inspirado na História da Península Ibérica, Os Leões de Al-Rassan é uma épica e comovente história sobre amor, lealdades divididas e aquilo que acontece aos homens e mulheres quando crenças apaixonadas conspiram para refazer ? ou destruir ? o mundo. Lar de três culturas muito diferentes, Al-Rassan é uma terra de beleza sedutora e história violenta. A paz entre Jaddites, Asharites e Kindath é precária e frágil, mas é precisamente a sombra que separa os povos que acaba por unir três personagens extraordinárias: o orgulhoso Ammar ibn Khairan ? poeta, diplomata e soldado, o corajoso Rodrigo Belmonte ? famoso líder militar, e a bela e sensual Jehane bet Ishak ? física brilhante. Três figuras cuja vida se irá cruzar devido a uma série de eventos marcantes que levam Al-Rassan ao limiar da guerra.

Bem este é um dos livros que fazem parte do top 5 da coleção BANG, devo dizer que não me custou elege-lo como um dos melhores, tal a qualidade do livro.

A exemplo do que fiz com a Jacqueline Carey, penso que estes livros deviam ser devidamente divulgados para que mais livros deste brilhante escritor sejam publicados.

Para quem goste de mistério, aventura, romance, politica, intrigas este é um livro que consegue reunir todos estes ingredientes.

Neste capitulo, penso que o escritor consegue agradar a pessoas que gostem quer de romance, quer de romance histórico e mesmo os que preferem fantasy, como é o meu caso.

Sendo o enredo excelente, com uma escrita muito fluida, penso que as personagens são do melhor que o livro tem, em especial o trio principal do enredo, mas tendo igualmente outras personagens secundárias muito boas. Vão crescendo à medida que a história vai avançado e são muitas as surpresas com que nos deparamos e que não estávamos nada à espera.

Momentos de riso, alegria, compaixão, crueldade, dor, muitos são os sentimentos por que vamos passando e temos muitos momentos que nos levam a reflectir e que ainda nos dias de hoje são muito válidos, como a descriminação racial, amizade entre os povos entre outros.

Gostei de várias personagens, como a família de Rodrigo Del Monte, em especial a esposa deste e dos seus filhos Fernan e Diego, do Clérico Ibero, um bom homem, dos reis quer Almalik, quer Ramiro, Badir e o seu chanceler Kindate, dos pais de Jehane, de Velaz (que me fez vir uma lagrimazita), de Alvar de Pellino, enfim de um enorme numero de personagens e povos. Excelente as personagens do deserto do Majriti e as suas filosofias.

Muitos foram os momentos marcantes e surpreendentes mas adorei o reencontro de Rodrigo e Miranda, o Carnaval, a emboscada ao Tarif ibn Hassan, o salteador, o encontro entre Rodrigo e ibn Khairan, a despedida de ambos e depois temos um final muito interessante.

Acho que ninguém devia perder a oportunidade de ler este livro, uma relíquia.


Uma verdadeira Pérola


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Jacqueline Carey - Saga Kushiel


Como sabem tenho acompanhado a coleção BANG, do qual até já fiz um top 5 dos meus livros preferidos sendo que nos vários comentários que fiz, foi uma das escritoras que mais me custou não ter colocado no top 5, tal como a Anne Bishop e Feist, mas sem duvida que esta escritora tem a minha admiração.

Tendo estranhado um pouco o porque da Editora não publicar o último volume, até porque já estão publicados 5 volumes faltando apenas um (que na versão original é uma trilogia), fez com que fosse ao FB da Editora questionar se havia previsão para publicar o livro em falta, pois o ultimo publicado foi em março de 2012, quando os livros eram publicados com uma certa regularidade.

Como infelizmente cada vez mais venho a notar certas séries não são terminadas devido a falta de vendas e foi com grande alegria que soube que pelo menos uma das minhas sagas preferidas irá ser terminada mas quanto a publicar mais da autora é bastante incerto, o que me leva a pensar que muita gente deve andar a dormir, pois esta escritora criou algo genial.

Pergunto-me como é possível que o que tem qualidade não vender, faz-me mesmo confusão, dai que provavelmente e contrariamente aos meus objetivos tentarei escrever sobre escritores que a Editora deixou de publicar por falta de vendas, como Scott Lynch ou Gavriel Kay, embora não sinta obrigação de andar a divulgar os livros da Editora, afinal já há quem a tenha :P, mas penso ser minha obrigação tentar divulgar, aquilo que no meu entender é realmente bom, claro sempre discutível, venham dai as balas :D 

Para quem não sabe, esta saga decorre num mundo renascentista reinventado, onde a mitologia e os deuses desempenham um papel fundamental. 

Jacqueline Carey presentear-nos com uma escrita cuidada e maravilhosa. Não me canso de a elogiar, porque aprecio imenso a forma como ela “tece a sua teia”, pegando em simples palavras para construir uma narrativa fantástica. 

Com personagem verdadeiramente marcantes, como é o caso da dupla protagonista Phedre e Joscelin e claro a misteriosa, enigmática, tecedeira de teias,  que dá pelo nome de Melisande, estivesse ela em Westeros e à quanto tempo Porto Real Cersei estáva fora do trono :D.

Boas aventuras não faltam, mesmo que a divisão dos livros não tenha ajudado pois o enredo não é facil e só se percebe os objetivos ao fim do 2 volume, logo não desistam ;)

Não deixem passar ao lado esta brilhante escritora, não o faço por gostar da Editora, que por acaso até é a minha Editora favorita, mas sim porque me custa imenso ver que o que vende não tem nem 1/10 da qualidade da Carey (não é faltar ao respeito, cada um lê o que quer e nada tenho contra isso, mas nem sempre o que vende bem é sinonimo de qualidade), já chega ver tanto escritor com qualidade ficar para trás e deixar de ser publicado por falta de vendas, perde a coleção e perdemos nós :(

Mas a Editora que seja criativa, nem que lhe chame "as cinquenta sombras de Kushiel", pois esta saga também tem cenas bem picantes :D 


Já agora sobre a autora:

Jacqueline Carey é a autora da conhecida série Kushiel’s Legacy, um conjunto de romances histórico-fantásticos, e da duologia The Sundering.
Leitora ávida, Jacqueline começou a escrever ficção como hobby na escola secundária. Depois de se licenciar em Psicologia e Literatura Inglesa no Lake Forest College, fez parte de um programa de estágios internacionais e passou seis meses a trabalhar numa livraria em Londres. Enquanto viveu no estrangeiro, surgiu o desejo de escrever profissionalmente. Após regressar, Jacqueline iniciou uma carreira de escritora, que deu frutos uma década depois. Durante este tempo, trabalhou num centro de artes de uma zona universitária, o que lhe deu um forte domínio das artes visuais. Jacqueline gosta de fazer pesquisa acerca de uma grande variedade de temas obscuros, e uma afinidade com as viagens já a levou à Finlândia ou ao Egipto. Vive actualmente em Michigan, onde é membro da associação organizadora de Carnavais mais antiga do Estado. Apesar de ser muitas vezes questionada pelos fãs, Jacqueline não tem qualquer tatuagem

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

“Prelúdio”, 1 volume da série Downspiral - Anton Stark



Nada como promover escritores nacionais e penso que Anton Stark terá tudo para poder vencer como um, pois neste primeiro volume da saga Downspiral, de Fantasia Steampunk, presenteia-nos com um livro a grande nível; digamos que estamos na presença de um preludio para algo grandioso, um polvo que vai estendendo os tentáculos, e ao terminarmos este livro ficamos com muita expectativa para o que ai vem.

Já agora queria também referir que este livro é o primeiro livro de uma nova editora, (Editorial Arauto) e é de louvar a coragem de publicar um livro, de um português e acima de tudo como primeiro livro de saga, que obviamente pode gradualmente vir a perder leitores, mas acredito que tal não venha a acontecer, pois estamos de facto na presença de um verdadeiro diamante.

Louvar ainda o preço do livro, que custou 11 € e comprado diretamente ao escritor, penso que é o caminho para se promover que cada vez se leia mais, pois os livros estão muito caros o que não ajuda a que as pessoas ganhem hábitos de leitura.

Quanto ao livro em si, é complexo, pois apresenta um estilo tipo George Martin, onde temos várias organizações diferentes, vários personagens e a história é também contada por POVs, o que quanto a mim é uma mais-valia pois acabamos por ter uma visão de ambos os lados, digamos assim.

Aproveito para vos abrir o apetite algumas explicações dadas pelo próprio escritor, via Facebook, sobre o complexo universo criado (que farão mais sentido após a leitura do livro):

SOBRE O REINO DE AMORSLEA (um dos vários da história):

"O REINO UNIDO DE AMORSLEA, TARGUS & SYLVAIN
- A Terra do Cisne Dourado -

População Total: 19,1 milhões

Amorslea é uma das mais avançadas e ponderosas nações dos Reinos de Vapor. É um reino rico, bem guarnecido de recursos naturais e poderio militar, e muitos dos melhores e mais engenhosos tecnologistas e engenheiros dos Extremos do Norte sentem-se orgulhosos por poderem considerá-lo a sua terra de origem.
A capital que deu ao país o seu nome, Amorslea, localiza-se no centro de um imenso vale que se estende entre as Montanhas Brancas a sul, a Cordilheira de Rhun a oeste, os Picos de Phast a leste e a grande Floresta Negra a norte. Entre outras cidades importantes contam-se Corvina - segunda apenas atrás de Amorslea em tamanho e influência - a cidade-fortaleza que controla e abastece os exércitos da nação; Drimwall, o maior porto dos Reinos, na ponta mais setentrional da Costa Azure; Targus, Sylvain e Brevis. 
Terra antiga e ordeira, Amorslea possui uma cultura e governo sofisticados, ainda que movidos por intriga constante. É presentemente governada pelo Rei Lucio Alesius, herdeiro de uma longa linhagem de monarcas com quase treze séculos de duração. Naturalmente, os homens do Rei não podem estar em todo o lado ao mesmo tempo, e continua a existir alguma desordem e bastante aventura nas terras selvagens que se encontram para lá dos portões das modernas cidades de Amorslea.

O reino encontra-se em guerra com o seu velho rival, Günnland, tanto em terra como no mar. A sua aliança com Lleuvenal lançou-o também contra Ulmar no norte, e agora que o Protectorado decretou uma Cruzada de Fé, batalhão atrás de batalhão abandona Corvina diariamente, em direcção às linhas da frente em todas as fronteiras."

SOBRE O MAGNUS (uma personagem que surge a meio do livro) E OS WOLFERS:

"O centro do enredo passa-se em Amorslea tanto é nome da capital como do reino. Neste caso a tribo do Magnus vive dentro do reino, não dentro da capital. Vivem para os lados daquela grande floresta que encontras no mapa à direita de Amorslea-a-capital.

No meu mundo, o ser humano não descende dos primatas mas sim de uma espécie de lobo primordial. A cadeia evolutiva seria assim Lobo Gigante Pré-Histórico-> ? -> Lobo Gigante Primitivo -> Lobisomem -> ? -> ? -> Ulfnar -> Ser Humano. Comparando coma escala evolucionária do nosso mundo, os Ulfnar são os homens de Neanderthal do meu mundo e os canídeos são a outra espécie mais próxima dos meus Humanos. 

Os Ulfnar são uma raça de seres muito próximos aos humanos em termos de aspecto, mas com as seguintes diferenças: elevada altura; musculatura naturalmente mais desenvolvida; orelhas ligeiramente pontudas (they're not elves!); olfacto muito apurado; distinção de cores debilitada, mas boa visão nocturna; inteligência limitada; grande resistência a venenos mas pouca resistência a certas doenças tipicamente humanas (uma gripe deixa-os de rastos e pode ser letal); olhos completamente azuis-claros de irís negra (que o Stephan também tem, se se lembram).Podem viver até 300 anos de idade (mas é raro ultrapassarem os dois séculos porque morrem de outros motivos até lá).

Vivem em grupos tribais chamados Kins, grupos não muito grandes (entre 300 a 500 indivíduos no máximo) dispersos por uma ou mais aldeias e regidos por um chefe eleito e geralmente hereditário (a não ser que alguém dentro da tribo o conteste). A vida espiritual da tribo é guiada por um ou mais xamãs (um por aldeia, e um xamã-chefe por Kin), que aconselham o chefe, supervisionam todas as construcções, preparam medicamentos, estudam os desígnios da Mãe (a mais antiga divindade em Eos) e registam a história da tribo em pedras-de-histórias."

"O Magnus é um dos melhores guerreiros e caçadores do seu Kin (uma função muito muito importante, já que é da caça que os Ulfnar retiram cerca de 60% do seu sustento). O Allen, seu irmão, foi abençoado com cabelos cor de neve, o que significa que terá de ser um xamã do Povo (o nome sob o qual todos os Ulfnar se revêem). Isto embora nem todos os xamãs tenham cabelo de neve (veja-se o caso do Alroy, que tem cabelos vermelhos flamejantes).”

“Devido ao seu crescimento lento e longevidade, os Ulfnar parecem sempre muito mais jovens do que na realidade são. Uma criança ulfnar que aparente doze anos humanos pode bem ter 17-18 ou mais, e um jovem ulfnar que aparente 18 anos pode ter na realidade meio-século de vida."
SOBRE O STEPHAN (um mestiço, meio-wolfer meio-humano):


“Os wolfers podem ser assemelhados, em termos de organização social, aos índios americanos. Em termos estéticos a cultura deles é meio céltica. O pai do Stephan não era, contudo, um destes "selvagens", mas sim membro de um clã civilizado havia várias gerações. Ao contrário do que sucede em Amorslea, em que se consideram os wolfers como escravos e idiotas com força, em Günnland há alguns antigos clãs de wolfers "civilizados", antiga nobreza com alguma influência. Era este o caso com o pai do Stephan e também com o seu avô, bisavô, trisavô, etc. Pelo que na família dele ninguém é "selvagem" há muitas gerações. “
SOBRE A GUERRA E OS VÁRIOS PAÍSES:

“Tudo isto começou, como está explicado, com uma invasão Ulmaran a Lleuvenal. Os Amorsleanos, aliados dos Lleuvenalen, viram-se forçados a enviar uma força expedicionária para Cinq Ports, a capital de Lleuvenal. Isto é em 1835 D.A., o ano corrente na narrativa. 

Por esta altura Amorsleanos e Günnlander já andavam à tareia perto dos Portões do Império. Os Amorsleanos tinham invadido Gelderland sob pretensa de um suposto incidente diplomático (supostamente Günnland estava a formar uma aliança secreta com o reino de Ulmar).

Com os Günnlander ocupados com os Amorsleanos, os Kospodar (aquele povo simpático a nordeste), que tinham havia um par de anos antes conquistado o reino de Mordvia, viram uma oportunidade para virem por aí abaixo e entraram pela cidade de Livenberg adentro. Mas a defesa Günnlander têm-nos bloqueados ali desde o final de 1833 D.A.

No meio disto tudo há várias potências neutrais: o Protectorado de Phast (que apesar de ter esse nome já não é protectorado nenhum mas sim uma nação independente), que é a nação mais avançada de todas (electricidade, woohoo!), vende armas e serviços para toda a gente; A Federação de Rhun, dos meus anões, é neutral no conflicto e está trancada na sua cordilheirazinha; Mercir e as outras nações do arquipélago de Fund estão preparadas para escolher um lado assim que o clima da guerra soprar para o ladod e alguém. Até lá vão emprestando dinheiro a muita gente.”



Convencidos da qualidade do universo ? Assustados com a quantidade de informação? Não vale a pena, pois o livro apresenta personagens super interessantes, bem construídas e complexas; não se percebe imediatamente se são boas se são más, sendo que até ao momento Alleth é para mim a mais cativante, (e quem conhece Locke Lamora encontrará algumas semelhanças). 

Mas temos mais como são os casos do Duque Rehnquist Alvaro (que está por trás de muito do que se passa do enredo, digamos que uma espécie de Varys com o seu mundo de segredos e mistérios) , Sthepan, um personagem muito interessante e que nos irá apresentar uma agradável surpresa; Nev, uma ladra do misterioso Sindicato; entre outras.

Um primeiro livro que cativa do princípio ao fim e é muito bom. Não há momentos mortos, e as personagens estão sempre em acção, não havendo certezas absolutas de nada: mistério, intriga, suspeitas, enigmas por desvendar, personagens cativantes e que tal como referi tem tudo para trazer ai algo de grandioso, penso que as coisas estão a ser preparadas para o que aí vem. Assim se mantenha, porque além de tudo o que referi a maior valia do livro é mesmo a qualidade de escrita do escritor 

Invistam que vale bem o dinheiro.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Ciclo Pendragon - Stephen Lawhead - Graal



Antes demais quero desde já agradecer à Ana Bernardes ter-me proporcionado ler estes livros e que desde finais do ano de 2012 já li 5, faltando-me apenas um, Avalon, dai e desde já o meu muito obrigado ;)


Gostava ainda de referir, que embora não faça disso uma preocupação, já li 6 livros até ao momento no ano de 2013, nunca pensei e acima de tudo ando a ler muito menos fantasia e romance histórico, o que mais gosto de ler.


Posto isto confesso que já andava de olho neste escritor, pois há imenso tempo que acompanho opiniões bastante positivas sobre as suas obras, de pessoas de quem valorizo as opiniões e que sei que apreciam os mesmos géneros que eu, pelo que comecei esta obra com algumas expectativas.



Mas foi com Bizâncio, que encontrei na Berthand ao acaso por cerca de 10 € e também em 2012 que finalmente li algo deste escritor. E devo dizer que foi dos melhores romances históricos que li até hoje.

Aqui deixo a Sinopse:
Partindo da figura de Aidan, um monge irlandês, embarcamos numa jornada que nos levará a Bizâncio, com o objectivo de entregar um precioso livro nas mãos de um santo imperador. Pintando-nos num mundo distante, 900 anos antes de Cristo, a jornada de Aidan abre-nos as portas de quatro grandes civilizações, com os seus hábitos, costumes e modos de pensar. Com uma força incrível, testemunhamos a brutalidade desses tempos enquanto nos sentimos passear por Constantinopla ou viajar ao lado de Víquingues ferozes.


Mas é mesmo o "Ciclo Pedragon" composto pelos livros, Taliesin, Merlin, Artur, Pedragon, Graal e Avalon que me faz partilhar esta mensagem pois tem a ver com o 5 livro Graal.

Como referi comecei a ler nos finais de 2012 estes livros e ao fim de tantos livros, da mesma saga será que a determinada altura os livros não se tornam repetitivos, não se fica cansado de ler tanto sobre o mesmo ? A resposta é mesmo não. 

Com uma escrita viva, fluída  realista, Lawhead dá-nos uma obra fenomenal, historicamente rica, cheia de pormenores deliciosos, quem já não ouviu falar destes personagens ? Quem não ouviu já falar sobre o Graal ? Quem não leu livros sobre Artur como por exemplo As Brumas de Avalon da MZB que quanto a mim ficam muito distante em termos de qualidade desta saga ?

Desde o inicio que o enredo é narrado por vários personagens  onde vamos conhecendo o passado e  o pensamento de vários e é interessante constatar que depois de conhecermos aquilo porque passaram, se torna compreensível muitos dos seus actos.


Penso que todas conferiram uma maior dinâmica à trama e tornaram a história ainda mais interessante mas há duas personagens que quanto a mim marcaram a saga, Merlin e claro a sempre presente Morgana.

Curiosamente neste livro até tivemos em vários momentos uma introdução aos capítulos, onde finalmente vimos os seus pensamentos, pois se foram vários os obstáculos que Artur teve que ultrapassar, desde a peste, selvagens, traições, sempre nos foi dado a entender, que seria desta personagem que viria o perigo, uma mais valia sem duvida ;).

Mais não vou revelar, até porque já vai longo o comentário, não chega ao nível da serie 1º Homem de Roma da Colleen McCulough ou mesmo de Azteca de Gary Jinnings, mas é sem duvida um escritor que vai subindo a passos largos como um dos meus preferidos de Romance Histórico.

Já sinto uma certa nostalgia por tudo estar a terminar, ainda tenho mais um pela frente,  certo é que irei ler mais livros deste escritor isso sem a menor duvida.

Não deixem passar ao lado, vão por mim ;)


Livro 6 de 2013 (EUA) - 9/10

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Selo 2013 Literário


Olá a todos,


E mais uma vez fui contemplado com mais um selo, quer pela amiga Cláudia Sérgio (http://umabibliotecaemconstrucao.blogspot.pt/) quer pelo amigo Pedro Pacheco (http://nomnomlivros.blogspot.pt/) ao qual desde já agradeço ;)


As regras deste selo são:

Indicar um mínimo de dois livros que gostei de ler em 2012 (sem limite máximo);
indicar pelo menos três livros que desejo ler em 2013 (sem limite máximo);
Indicar o nome e o link de quem ofereceu o selo;
Oferecer o selo a mais 10 pessoas para dar sequência a este projeto de incentivo à leitura. Ora então, vamos lá a isto!

Livros lidos em 2012

Para simplificar a coisa escolho Alex 9 de Martin Braun (português) e Bizâncio de Stephen Lawhead, mas li muitos outras coisas boas de George Martin a Robin Hobb, Eça de Queiroz, Anton Stark e por ai fora ;)

Livros que pretendo ler em 2013

O Hobbit de JRR Tolkien e já muito em breve, em leitura conjunta no grupo o Cantinho do Corvo Fiacha (FB), Cada Homem é uma Raça de Mia Couto e A Irmandade do Santo Sudário de Júlia Navarro, entre muitos outros claro está :D

http://universoparteleira.blogspot.pt/ (amiga Rita quero ver movimento no teu blog :D )
http://osenhorluvas.blogspot.pt/  (Ao dragão negro que ainda nem o outro fez :P )
http://cronicasdemirime.blogspot.pt/ (Para alguém sempre especial ;) )
http://ghostreader1.blogspot.pt/ (blogue que me vou tornar seguidor por indicação da minha amiga Rita Ribeiro da Magia dos livros)
http://magia-livros.blogspot.pt/ ( Para a amiga Ritinha que mal tem tempo para vir à net com tantos estudos :( )
http://devaneiosdajojo.blogspot.pt/ ( Para a amiga Jojo que tal com o Rita deve estar sem tempo para nada eheheh)

PS: Há mais blogues que mereciam, mas sei que não devem ter muito tempo como a Patrícia Santos, O Luís Pinto a Paula Viajar pela leitura Cassiana Teodoro e por ai fora, mas obviamente não estão esquecidos pelo amigo Corvo ;)

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Selos recebidos e desenho




Ora bem foi um final de semana com algumas surpresas. Em primeiro lugar a amiga Ana Jardins, amiga no FB, dedicou-me um desenho, feito por ela e que muito me orgulha, foi e é ainda capa do meu cantinho do FB e agradeço-te pelo "mimo" tens imenso talento e espero que continues a desenhar...mesmo que não tivesses o que conta é o gesto de amizade, muito obrigado ;)

Quanto aos selos recebidos agradeço quer ao Pedro Pacheco quer à Maria Rita por se terem lembrado de mim para o Liebster Award! :D

Um selo criado para promover blogs com menos de 200 seguidores! Ora muito bem que são feitas para se quebrarem obviamente passo a descrever :

Regras:
1- Lista com 11 factos sobre nós.
2- Responder às 11 perguntas que nos atribuíram.
3- Nomear 11 bloggers com 200 ou menos seguidores, colocar o link dos respetivos blogs neste post e avisá-la/os sobre o prémio.
4- Fazer 11 novas perguntas à/aos bloggers que nomeei para o prémio.


11 factos sobre mim:
1) Gosto de ler
2) Namorar
3) Beber e comer bem
4) Praia
5) Viagens
6) Caminhar
7) Conviver com a família e amigos
8) Ouvir musica
9) Ver filmes
10) Ouvir noticias
11) Benfica, sempre :D

Respondendo à Rainha do Sol :D


1. Porque decidiste criar o teu Blog?
Fundamentalmente para saber os livros que vou lendo ao longo do ano, pois muitas vezes não me lembro o que li em cada ano. Tenho aproveitado para fazer outras coisas, como indicar os meus escritores favoritos,
entre outras coisas, mas é são mesmo extras :D

2. O que gostas mais no teu Blog?
Do apoio que tenho recebido dos amigos, não estava à espera ;)

3. O que podes melhorar no teu Blog?
Acima de tudo a nível de visual e explorar melhor o que isto tem para dar, pois eu e a informática não somos muito amigos e ainda tenho muita coisa para aprender :P

4. Qual é o teu maior sonho?
Continuar a ter a minha corva sempre a meu lado e claro se poder ser o único totalista do euro-milhões não me chateava :D

5. Qual o teu livro favorito?
É complicado estar a eleger apenas um livro, mas pronto vou escolher o Duna do Frank Herbert, um livro muito bom ;)

6. Se pudesses definir a tua vida com uma música, qual seria?
Difícil, mas a musica que neste momento me vem mais à cabeça é mesmo a do Zeca Afonso "Eles comem tudo, eles comem tudo, eles comem tudo mas não deixam nada"

7. Qual o teu hobbie de eleição?
Ler viajar e namorar

8. Qual a tua viagem de sonho?
Argentina, no entanto se este ano conseguir ir a Marrocos tal como pretendo já seria um corvo muito feliz ;)

9. Qual o teu filme favorito?
Só um ? que injustiça, mas escolho O Silêncio dos Inocentes

10. Se pudesses ser uma personagem de livro ou filme, qual serias? Porquê?
Nelson Mandela Che Guevara ou Gandhi, personagens dignas e do meu maior respeito, pena haver tão poucos como eles

11. Qual a tua profissão de sonho?
Dono de uma Ilha considerada como reserva natural e que apenas pudessem lá ir visitar pessoas por mim seleccionadas :D


Respondendo do Pedro Pacheco

1- Como descreverias a tua vida em 3 palavras?
Feliz, mimado e parvo por não ter estudado mais :D

2- Qual o livro que mais te marcou?
A Gloria dos Traidores, não estava à espera de levar tantos KOS, nem tinha tempo de recuperar de um golpe já outro vinha a caminho, adorei

3- Qual o primeiro livro que te lembras de ler?
Penso que teve a ver com banda desenhada, os liros do Patinhas e assim :D

4- Se te deixassem numa ilha deserta onde poderias levar 7 livros, que livros levavas?
Só sete ? liros grandes e de qualidade, logo os 7 volumes da serie 1º Homem de Roma da Collen McCullough

5- Qual o teu vilão literário favorito?Bem complicado, mas pronto para não perder muito tempo e tentando não complicar muito Tywin Lannister, um homem que me mereceu o meu maior respeito e que devia continuar pois sem ele os Lannister ficam tão debilitados...Mas pronto era um homem que lutava por aquilo que acreditava, há vilões bem mais malignos, mas sempre gostei deste homem ;)

6- Se pudesses reencarnar como um animal, qual seria e porquê?Gosto de felinos e em especial de leopardos e do Tigre Siberiano, mas talves escolhe-se a pantera negra, por todo o mistério que envolve :D

7- Se te dessem a oportunidade de ires a um lugar na Terra de graça, onde ias?Polinésia

8- Quantos livros possuis? Sinceramente não sei, mas seguramente mais de 10 :D

9- Qual o livro que marcou a tua infância e qual o que marcou a tua adolescência?
Na infância não me recordo muito bem, tirando aquelas revistas da Playboy :D, agora o que me fez começar a ganhar hábitos de leitura foi as Brumas de Avalon da MZB

10- Se te dessem a hipótese de aprender uma língua sabendo que ao final de um mês a saberias fluentemente, que língua aprenderias?
Inglês, penso ser a língua mais importante no mundo atual, ai malvado corvo que só queria jogar à bola e namorar em vez de estudar lol

11- Se pudesses viver num mundo fantástico qualquer, em qual viverias?

Torre do Cervo da Robin Hobb, mas sem forjados e com o dom da manha :D

E os Blogs nomeados são  e aqui vou quebrar as regras:

http://oimaginariodoslivros.blogspot.pt/
 (não é para retribuir, sabes que te considero amiga ;) )
http://nomnomlivros.blogspot.pt/ (idem, tens muito talento e muito potencial para evoluir ;) )
http://umabibliotecaemconstrucao.blogspot.pt/ (é mais um Cláudia, um miminho :D )
http://folhasdomundo.blogspot.pt/ (pela amizade, pela qualidade do blogue e por tudo ;) )
http://livroshistoriasemundosfantasticos.blogspot.pt/ (à minha amiga rapozinha uma joia)
http://universoparteleira.blogspot.pt/ (Rita nem que fosse só por ires ao avante, vá menos preguiça :D )
http://osenhorluvas.blogspot.pt/ (Amigo Dragão sabes que és especial ;) )
http://cronicasdemirime.blogspot.pt/ ( está a ser anunciado pela primeira vez a existência deste blogue.... alguém muito especial para mim, pela amizade Carla Pisco ;) )
http://girlinchaiselongue.blogspot.pt/ (estive mesmo para não colocar este blogue mas nunca pensei que tivesse menos de 200 seguidores dada a simpatia e a qualidade do mesmo, mais que justo ;) )
http://dragonmountbooks.wordpress.com/ ( um blogue que não sei se tem mais de 200 seguidores, mas penso que merece inteiramente este selo, da amiga Cassiana ;) )
http://p7-books.blogspot.pt/2013/02/shadowfell-juliet-marillier.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+Bookeater/Booklover+(Bookeater/Booklover) ( P7 nunca pensei que ainda não tivesses menos de 200 seguidores, pela amizade ;) )

E agora, as 11 novas perguntas às/aos Bloggers que nomeei:

1) Qual o teu livro favorito ?
2) Qual a tua saga favorita ?
3) Personagem masculina preferida de livros ?
4) Personagem preferida masculina ?
5) Escritor favorito ?
6) Qual o pais que gostavas de viver ?
7) Qual a cidade portuguesa que consideras mais bonita ?
8) No que gostavas de trabalhar ?
9) Objetivos de leitura para 2013 ?
10) Qual o teu passatempo favorito ?
11) Algo que gostasses de responder (pergunta de opção para ti )


Espero não me ter esquecido de ninguém, se o fiz não foi de propósito e obrigado pelo apoio de todos, nem um mês este blogue tem e já tenho selinhos :D


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Dracula de Bran Stoker





Comentário por introduzir

Embora tenha achado uma excelente escolha para leitura conjunta esperava mais em especial o seu final, mas é preciso contextualizar o livro e notar que, na época em que foi escrito, as necessidades dos leitores não eram as mesmas que hoje em dia e temos que admitir que os livros com vampiros são, hoje em dia, mais do que vulgares e este “Drácula” foi, na altura, uma grande novidade, logo nota positiva.

Livro 5 de 2013 - 9/10 (Irlanda)