sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

As Mentiras de Locke Lamora - Opinião

Se há autores que sabem barrar o seu bolo com uma deliciosa cobertura de “tudo-o-que-podemos-desejar”, este Scott Lynch é um deles. Natural do Wisconsin, o jovem bombeiro da região saltou para o estrelato logo com o seu romance de estreia, um surpreendente jogo de ladrões que mistura ambientes que nos são de algum modo familiares numa intrincada teia de intrigas e trapaças. As Mentiras de Locke Lamora, lançado em 2006, é o primeiro volume de uma saga de sete, The Gentleman Bastards, sendo que apenas três foram publicados pelo escritor, e não se prevê que mais algum para além deste seja lançado em Portugal. Se este livro me surpreendeu? Sem a mais pálida dúvida. Scott nasceu para ser escritor.



SINOPSE:

Diz-se que o Espinho de Camorr é um espadachim imbatível, um ladrão mestre, um amigo dos pobres, um fantasma que atravessa paredes. De constituição franzina e quase incapaz de pegar numa espada, Locke Lamora é, para mal dos seus pecados, o afamado Espinho. As suas melhores armas são a inteligência e manha à sua disposição. E embora seja verdade que Locke roube dos ricos (quem mais vale a pena roubar?), os pobres nunca vêem um tostão. Todos os ganhos destinam-se apenas a ele e ao seu bando de ladrões: os Cavalheiros Bastardos. O submundo caprichoso e colorido da antiga cidade de Camorr é o único lar que o bando conhece. Mas tudo vai mudar: uma guerra clandestina ameaça destruir a própria cidade e os jovens são lançados num jogo de assassinos e traidores onde terão de lutar desesperadamente pelas suas vidas. Será que, desta vez, as mentiras de Locke Lamora serão suficientes? 

OPINIÃO:

Magistral, soberbo, original… Parece que todos os adjectivos são poucos para qualificar esta magnífica obra. Comecei o livro com baixíssimas expectativas. A sinopse não me puxou, nunca fui fã dos ambientes renascentistas e Veneza não é, seguramente, dos meus destinos turísticos predilectos. Surpreendendo-me a mim mesmo, gostei dos capítulos iniciais, e fui lendo, um pouco na expectativa, as histórias de Locke, Jean, Calo, Galdo e Pulga. Senti-me um pouco confuso com o mundo em que estes personagens se inseriam, e interiorizei que era um mundo original baseado na Veneza antiga, só e apenas, sem esperar que Scott viesse a caracterizar mais pormenorizadamente esse mundo. Mas, para meu espanto, ele fê-lo.
O autor foi pintando esse mundo gradualmente, dando-nos a conhecer a sua notável arquitectura empertigada pelo vidro antigo e as suas ciências de carácter alquímico. Só conhecemos a mitologia e a História daquela terra, pelo menos em parte, nos capítulos finais do livro. Achei piada à inversão, se bem que considero que Scott poderia ter dado algumas pistas mais fortes no início e fica meio a sensação que só com o decorrer da escrita ele foi conjecturando aquilo que viria a ser a sua arte final. Durante muito tempo estamos a ouvir falar de deuses, de idiomas e de terras das quais não conhecemos, o que, se por um lado nos dá vontade de conhecer mais, por outro, ficamos completamente a “apanhar bonés”. Scott, no entanto, não nos deixa desistir da leitura. Os locais são muito bem descritos, as trapaças dos nossos heróis bem organizadas e aquele que, para mim, é o ponto forte do escritor, o seu sentido de humor é qualquer coisa de magnífico.
A sua mente criativa misturou com consistência e sustentabilidade um mundo de mafiosos e ladrões, com poucos personagens é certo, mas todos eles muito bem desenvolvidos e trabalhados. Se o mundo em si ainda não é muito complexo, a rotina e os modos de vida de Camorr são qualquer coisa de apaixonante, concebendo uma textura tão palpável que nos faz sentir dentro daquela história. E as reviravoltas que o autor nos dá, a morte de certos personagens, a revelação de esquemas e as ironias deixam-nos, irrefutavelmente, a salivar por mais. O meu personagem preferido é Jean Tannen, e as minhas cenas preferidas são aquelas em que ele age com as suas Irmãs Malvadas, as suas machadinhas inseparáveis. O Rei Cinzento, Capa Barsavi, Dona Vorchenza e o Falcoeiro são também personagens fantásticos, para além, claro, do protagonista, Locke Lamora. Também adorei os tubarões e as lutas de gladiadores na água. Por tudo isto e muito mais, espero muito que transformem esta obra em filme ou em série de tv.
Como tal, pontuei este menino com 5 estrelas no Goodreads, mas ainda assim há alguns pontos que roubam a perfeição ao livro de Scott Lynch; afinal, não há obras perfeitas, e não há livro que agrade inteiramente a gregos e troianos, mesmo no caso de uma obra tão consensual como As Mentiras de Locke Lamora. Achei os vilões muito clichés, principalmente o Rei Cinzento e as suas motivações. Para um sujeito tão franzino como Locke Lamora – o facto foi muitas vezes realçado por Scott ao longo do texto – achei muito pouco plausível que na hora de procurar um fato que lhe servisse, toda a gente tinha o mesmo tamanho e constituição do rapaz. Também não me pareceu muito convincente a história de um feiticeiro tão poderoso como o Falcoeiro cair em tamanha burrice de achar que Locke era o nome verdadeiro do personagem título do livro. Afinal, se ele já sabia que não se chamava Lamora, não podia pelo menos pôr em causa que o nome Locke também fosse falso? Adiante, o final soou-me um bocadinho previsível, e de certo modo um dejá vu de alguns filmes de ação. Ainda assim, fica a minha máxima recomendação. As Mentiras de Locke Lamora é um livro fantástico de se ler, dos melhores que já li em fantasia. Todas as pontas são bem atadas, todas as histórias muito bem explicadas, uma descrição realista sem maçar e um diálogo quase permanente, sempre consistente e engraçado, alternando entre comédia e drama no timing certo.
É verdade que o livro já saiu há algum tempinho, mas só agora tive oportunidade de o ler, graças ao amigo Fiacha que me recomendou e me mandou por mail para ler em formato digital. Tenho pena que não tenham ideias de publicar em breve outros livros de Scott em Portugal, mas acho que vão correr a publicá-lo mal façam um filme do Lamora, infelizmente sem esse tipo de publicidade grandes obras de arte passam ao lado da maior fatia do público. Recomendo seguramente este livro a todos os que gostem de fantasia, intriga ou ação.


9/10

84 comentários:

  1. Olá, Nuno! Realmente o Scott é um autor bem diferente. Li recentemente o terceiro livro e embora não tenha achado tão bom quanto os dois primeiros, o Scott conseguiu mostrar que está acima da média de autora do gênero. Bom saber que há mais pessoas gostando do trabalho dele.

    Espero que você gosta dos seguintes. Abraços e ótimas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também espero vir a gostar. :-P O fantástico só tem a ganhar em ter livros de autores como o Scott.

      Eliminar
    2. Eu quis dizer goste. rsrs Fiquei empolgada e acabei escrevendo errado. rs

      Concordo. Com o Scott o gênero ganha muito.

      Eliminar
    3. Não faz mal xD Eheheh
      Cada vez mais os autores têm de ser mais criativos, e isso é bom.

      Eliminar
    4. Ois Cassy,

      Como vez o corvo não se cansa de divulgar este escritor deste lado do atlântico :D

      Estou a ler o 2º volume e está ao nível deste sem duvida, muito bom :)

      Bjs

      Eliminar
    5. Estou a pensar em começar o segundo em breve, quem sabe ainda comece este ano :)

      Eliminar
    6. Não penses muito, já o tens ai toca a ler e começa logo com um jogo de poker, do melhor eheheh

      Eliminar
    7. Pois mas ainda tenho o Processo do Kafka para terminar, tenho as duas antologias (que vou lendo aos pouquinhos) e O Espião que Saiu do Frio do John le Carré. Não gosto de ler muitos livros seguidos dentro do mesmo género. Mas se terminar o Kafka na próxima semana depois leio o Carré e o Mares de Sangue ao mesmo tempo xD

      Eliminar
    8. lol se fosse a ler tudo o que tenhom por aqui estava tramado, nem é bom pensar nisso ehehe

      O Espião que veio do frio é....Brilhante ;)

      Eliminar
    9. Olha eu tenho cá em casa um enorme estante cheia de livros que poucos lhe peguei, a bem dizer são do meu pai, mas de vez em quando dou-lhes uma vista de olhos e leio um ou outro. Mas na minha estante não há um só livro que não tenha lido, afinal se os adquiro é para ler xD Espero que seja mesmo bom, já ouvi falar muito bem desse livro e Carré é um escritor que gosto muito.

      Eliminar
    10. lol por acaso foi o unico que li dele, tenho O Fiel Jardineiro por ler, mas é o mestre da Espionagem ;)

      Eliminar
    11. Esse do Fiel Jardineiro também ainda não li. Nem o Alfaiate do Panamá. Tenho ainda muito para ler, mas não vou ler esses sem acabar a saga do Smiley.

      Eliminar
    12. Tenho que ver se leio pelo menos um em 2015, vamos ver se consigo....sei que a marcador tem um bom escritor dentro desse genero, Nelson de Mille, quem sabe arrisque ler ;)

      Eliminar
  2. Olá Nuno.
    Ainda não li este livro. E não é por falta de recomendação. Por acaso tenho este livro e os que se seguem (em inglês) mas ainda não lhes peguei.
    Gostei bastante do teu comentário foste original e desenvolveste muito bem a tua opinião. Até era escusado eu dizer isto para uma pessoa com um talento como o tu. Espero que seja reconhecido porque mereces.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta coisa já está a variar outra vez. As vezes não aparece o comentário. Mas agora já não me engana mais. Copio sempre o que escrevo primeiro. Não é a primeira vez que escrevo um testamento e desaparece como o fumo. E eu fumo deito por todo o lado. Lol

      Eliminar
    2. Ois lince,

      Fazes muito bem ter todos os livros do Lynch, ainda te vais lembrar aqui das sugestões ehehe....este até o Barreiros recomenda, tens mesmo que ler :D

      Acho que o Nuno fez um excelente trabalho de divulgação ;)

      Ai atá a mim me acontece, não gosto nada mas pronto faço sempre copy quando é a primeira vez que comento :)

      Bjs e boas leituras

      Eliminar
    3. Obrigado, Luísa. Ainda bem que gostaram do comentário :) Fiquei com receio de ser um pouco extenso. E sim, Lynch é muito bom, para mim mete Kay a um canto. :P Fazes bem em lê-lo, depois do meu xD

      Eliminar
    4. Mau tens que ler primeiro Os Leões de Al Rassan, não tem nada a ver com o Tigana, embora tenha gostado dele, mas é outra loiça :D

      Mas sim Lynch é mehor sem duvida ;)

      Eliminar
    5. Já li dois capítulos d'Os Leões e não foi suficiente para me convencer a comprar xD Quanto ao Tigana acho que só consigo emitir opinião depois de ler a obra completa, tenciono comprar A Voz da Vingança em Janeiro ou Fevereiro. Mas a primeira parte foi só razoável. :D

      Eliminar
    6. Bem a segunda parte do Tigana é o melhor, lá está a mania de dividirem os livros e depois não vende, mas é previsivel, acredito que por mais voltas que se dê o final já deves imaginar ;)....Nada a ver com os Leões, não de alvalade claro que esses são pequenitos ehehe, mas de Al Rassan, aposta vai por mim ;)

      Sim a primeira parte foi introdutória digamos ;)

      Eliminar
    7. Talvez quando riscar todos os que tenho atualmente na minha wishlist venha a adicionar o Leões xD Mas ainda não estou convencido quanto ao livro.

      Eliminar
    8. Teimoso irra :D

      Se a Luisa lê o teu comentário vais ouvi-las e com razão ehehehe

      Eliminar
    9. Um pouco xD Mas também porque tenho outras prioridades. Ah, não digas isso.

      Eliminar
    10. Mauuuuuu...
      Mas é claro que vai.
      O Nuno tens que dar oportunidade ao Leões de Al-Rassan. As personagens são fantásticas. É difícil escolher uma favorita. Tem a parte do Carnaval que é espectacular. E a Miranda Belmonte? Grande mulher! Adorei, adorei...
      Digo uma vez mais arrisca que não te arrependerás. Que o Lince fique sem pinças e o corvo sem penas se não for verdade. :)

      Eliminar
    11. Talvez na entrada do novo ano o inclua na wishlist xD Eheheh gostei da tua resposta, és convincente.

      Eliminar
    12. Eu avisei e só posso subscrever ahahah, mas é mesmo outra celindrada Nuno acredita no corvo e no Lince :D

      Como vez ela até tem talento para ter um blog ehehe...vamos ver o que ela tem a dizer do teu livro :D

      Eliminar
  3. Viva Nuno,

    Antes demais obrigado por aceitares o desafio de partilhares o teu comentário aqui no blog, lá está é mais uma forma de se divulgar o que é bom.

    Já tinha divulgado o escritor aqui no blog mas penso que o teu comentario está muito bom mesmo, muitos parabens, mostras de forma e clara o que de bom o livro / escritor tem para oferecer ;)

    Por outro lado fico contente que tenhas gostado, espero até poder vir a ser-te util, quem sabe, Lynch é para mim um dos melhores escritores de fantasia. Percebes agora quando o mencionei que teve um inicio de saga muito bom ? ;)

    É verdade que volta e meia o livro é algo descritivo e nos deixa à nora, mas as pontas são devidamente atadas e tudo fica muito bem explicadinho, serve perfeitamente como livro stand-alone.....mas é cruel não se poder ler a continuação é das suspensões de sagas que mais me custa e não me canso de divulgar o livro para que as pessoas não deixem passar ao lado algo tão bom.

    Eu recoheço mérito à Editora por apostar nele, mas porque parar ? Em nome de que ? Não entendo juro, podem argumentar que não vende e os outros vendem ? Este escritor tem qualidade, é BOM, caramba revolta que as pessoas troquem este escritor a outros como Nora Roberts, Nicholas Sparks, Eroticos, Paranormais e o diabo a sete, nada contra mas desistir de Lynch ? É o não é George Martin um dos grandes balões de oxigénio para a Editora que o publica ?

    Lynch em certos pontos é melhor :)

    Mas é como referes quem sabe um dia não passe para a grande dela, que os deuses ouçam os nossos pedidos, é cruel ver este escritor ser tratado desta maneira :(

    Quanto às personegens, enredo estilo de escrita, dizeste tudo e gostei do final, um final nobre....de vigaristas, eles tambem tem coração :D

    Obrigado mais uma vez pela ajuda na divulgação deste brilhante escritor que felizmente está a ser publicado em terras de Vera Cruz o que possibilita a nossa leitura :)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado eu, Fiacha, pela ideia de publicar o meu comentário no teu blogue!! Quanto à publicação da obra de Lynch, o mundo editorial é assim mesmo e não vale a pena chorar pela continuação, talvez daqui a uns 10 ou 20 anos a obra venha a ter o devido mérito a nível mundial, como acredito que aquelas que têm valor terão sempre, mais cedo ou mais tarde. E quando o for, também em Portugal o autor será reconhecido. Por enquanto somos sortudos por ter versões em pt-br de autores como Lynch, entre outros igualmente bons. Há outros autores que me despertam a curiosidade e espero que pelo menos no Brasil sejam publicados, refiro-me a nomes como Brian McLellan, Stephen Donaldson, Brent Weeks, Sam Sykes. Até porque existem nomes de fantasia: Patrick Rothfuss, Robert Jordan, David Anthony Durkham e até Feist que não me despertam curiosidade suficiente para gastar dinheiro por eles.

      Eliminar
    2. Ora essa espero que seja a primeira mas não a última, alias já fazes parte da familia lol :D

      Não estou a chorar até porque como sabes leio de forma gratuita desta maneira, desde que seja publicado por lá....mas custa ver um escritor tão talentoso não vencer por cá e ai tem a ver com os leitores...tambem ;)

      Sim há ai muito bom nome por publicar, gostava de ver por cá Stephen Donaldson, espero que um dia publiquem, vamos ver :)

      Nada como experimentares, se poder ajudar diz, olha que o que não tens interesse até gosto eheh, em especial o Feist que está a ser excelente ;)

      Eliminar
    3. Pois, a mim ainda não me convenceram, mas também se não ler nenhum não me vão convencer mesmo ahah. Desses que referi eu tenho alguma curiosidade com o Mc Lellan, ele tem uma saga de fantasia baseada nas Revoluções Francesas, que me parece qualquer coisa de muito bom. E embora não faça ideia se a escrita dele é boa, despertou-me muito a curiosidade os livros do Sykes, cavaleiros a lutar com homens tubarão, tribos de macacos e homens-dragão, parece-me um pouco mais para o fantasioso mas deixou-me com muita curiosidade.

      Eliminar
    4. Mas está publicado por cá ? não tenho ideia nenhuma de ter visto :D

      Pois se não leres vai ser dificil, pode ser que te empreste :P

      Eliminar
    5. Não, acho que nem no Brasil ainda.

      Pois, mas há aqueles excertos da Saída de Emergência, do pouco que leio deles não me cativa muito.

      Eliminar
    6. O Brasil está a apostar forte, vamos ver se sai em 2015 ;)

      Sim o Mago do Feist o inicio não é forte, só se torna bom no 3 volume mas apertir dai é sempre a bombar, até nesta nova saga ;)....tal como a Robin Hobb, melhora imenso nos seguintes ;)

      Eliminar
    7. Yah quero continuar a Robb em 2015 :D

      Eliminar
    8. Mas que bem, bem faz falta malta a divulgar os seus livros a ver se a editora volta a apostar nesta brilhante esccritora ;)

      Eliminar
    9. Ainda só li o primeiro e não foi nada mau, talvez melhore

      Eliminar
    10. Não tenhas a menor duvida, vai melhorar nos livros seguintes ;)

      Eliminar
  4. Olá :D Gostei muito da tua opinião Nuno, excelente. Gostei muito da forma como descreveste a tua opinião, a forma como analisas-te a narrativa desde a sua criatividade à expressão da mesma, muito bem fundamentado e interessante, assim se vê, o escritor de qualidade que és :D...este é um (dos muitos) livros que quero ler. Era para comprar no natal passado numa promoção muito boa na bertrand e na altura não comprei :/ enfim...um mal a remendar...
    Não conheço ainda nada do escritor e este livro tem recebido tão boas críticas principalmente por estes lados do continente Fiacha :D
    Bem...e mais não digo porque (infelizmente) não conheço ^_^
    Boas leituras ;) Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário e claro, pelo elogio, "vizinha" :P
      Acho que fazes bem em comprar este livro, tem mesmo qualidade e acima de tudo diverte, porque os personagens têm um ótimo sentido de humor :)
      Beijinho

      Eliminar
    2. Olha faço minhas as palavras do amigo Nuno, humor não falta e do melhor, podem ser vigaristas, mas tem imenso talento e coração ehehehe

      Temos mesmo que colocar o Pisco a ler Lynch :D

      Eliminar
    3. E já agora, a Espada que Sangra também :P

      Eliminar
    4. Ah ah...vizinho tens toda a razão :D qualquer dia combinamos um cafézito a meio do caminho :D

      Eliminar
    5. Ai quem sabe a Pisco nao surja no evento do dia 14 de dezembro penso na Moita, nunca se sabe eheeh.....mas tens razão tem mesmo que ler até porque acredito o seu Targarien ia adorar tambem :D

      Eliminar
  5. Grande critica Nuno, muito bem escrita. Já ouvi falar muito bem deste livro e sei que no goodreads também só dizem coisas boas dele, houve uma altura que eu até o era apra comprar antes de saber que a SdE não iria publicar a obra toda -.- enfim, é mais um que está na lista para ler em inglês.

    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Luis,

      Até tens essa facilidade, olha se gostas muito do Brandon Sanderson, Lynch é outra celindrada e olha que eu gosto muito do Sanderson, até o barreiros recomenda este escritor ;)

      Estou contigo o Nuno fez uma excelente mensagem ;)

      Eliminar
    2. Obrigado, Luís!! Acredita, fazes bem em lê-lo xD

      Eliminar
  6. Ai Nuno, não me canso de dizer que adoro a tua forma de escrever. A forma como brincas com as palavras e tornas um texto simples numa coisa mais embelezada. Eu estou a ler e quase que sinto uma certa musicalidade no desenrolar das frases.

    Quanto ao conteúdo (que também interessa para o caso) mais um autor que não conheço mas que vou juntar à lista de futuras leituras. Não sei se foi a forma como falaste no livro que me convenceu, se foi a sinopse... o que sei é que me convenceste e fiquei curiosa :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado S, é sempre bom ouvir elogios desses :-)
      Acredita que fazes bem em ler, é um livro muito bom xD

      Eliminar
    2. Ois Sofia,

      Faço minhas as tuas palavras parece magia a forma como trabalham as palavras ehehe

      Recomendo, Recomendo, Recomendo, Recomendo, :D :D :D

      bjs

      Eliminar
  7. Olá Nuno,

    As Mentiras de Locke Lamora é o meu livro preferido. Já li os outros dois livros. A forma como eles terminam são sempre fantásticas. Gostei imenso da forma como Scott construiu este mundo e a maneira como vai apresentando o mundo e a história está muito bem elaborada.

    Sendo o Locke uma personagem cheia de charme, foi, para mim, fantástico poder acompanhar este primeiro livro e depois continuar para os seguintes. As suas aventuras e aqueles perigos por que ele passa fizeram-me "apaixonar" pela personagem.

    Vou sempre recomendar este livro. Mesmo que não continuem a editar por cá, há sempre as versões em inglês ou em português do Brasil, como a versão que o Fiacha está a ler do Red Seas Under Red Skies (vol. 2 desta história).

    Gostei muito da tua opinião. Excelente escrita!

    Bjs e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Miss Lamora, pelo teu nome eu nem desconfiava que pudesse gostar do Locke xD és tu a Sabetha?? :-) obrigado pela opinião, sem dúvida é um livro a recomendar seguramente, e não só a quem gosta de fantasia.
      Beijinho

      Eliminar
  8. Ois Lamora,

    Como vez sempre disponivel para divulgar este brilhante escritor e estou a chegar ao final do Mares de Sangue, estou a ver que o melhor está a chegar eheheh

    Quem sabe se for para a grande tela não volte a ter oportunidade por cá, seja como for muita malta já se virou para outroas versões, é pena :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  9. esta trilogia dos 'Gentlemen Bastards' foi a melhor que li, igualando os livros de Marillier (imo)

    ao contrário das outras trilogias, Lynch sobe o nível , a trama é brilhante, a escrita é brilhante, Lynch é brilhante,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só li ainda o primeiro, mas sem dúvida, ele é um génio.

      Eliminar
  10. Nem mais Elsa, nada como divulgar ;)

    ResponderEliminar
  11. Ok, pequenotes. Temos aqui cerca de 50 posts. Se na altura todos os presentes tivessem comprado o livro quando este saiu, o resultado teria alterado substancialmente os protocolos de vendas. Li em qualquer lado que o Lynch só vendeu 500 eemplares. 500 num universo de de 10 milhões de habitantes, é pouco, não é? Tanto mais que o Sanderson ( buerk) vendeu logo cerca de 1000. Ora as edições para renderem, terão de ultrapassar os tais mil. Senão...o que é que vos levou a comprar o Sanderson em detrimento do Lynch? O mistério está aí. Ambas as capas eram boas. O numero de páginas era quase igual. Ambos os nomes seriam, à partida, desconhecidos. Terá sido o título? Será porque um tinha um aspecto juvenile e o outro um aspecto um pouco mais adulto? Teria sido o nome do autor? Lynch versus Sanderson? Mas uma vez mais insisto: por razões incompreensiveis os bons livros não vendem. Mas assim sendo, que sinistra telepatia, que insidiosa contaminação memética, leva os consumidores a optar pelo mediocre?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Barreiros,

      Muito mais gente queria ver mais livros do Lynch por cá publicados, mas neste momento viraram-se para outros mercados, sempre a levarmos nega da Editora, que remédio temos.

      O Sanderson tambem não é tão mau como pintas, comprrendo que possas ter ai um odio em relação ao sucesso do escritor (estou contigo há coisas melhores e nunca seria a minha escolha de melhor livro de fantasia), mas tem a sua qualidade e desejo que faça muito sucesso por cá, mas de longe Lynch é superior, para mim claro.

      Uma boa questão, penso que o preço do livro não ajudou, a falta de divulgação / passatempos e por ai fora, mas pronto quem sabe um dia ainda venhamos a ter o prazer de o ver publicado por cá e lembrarmo-nos do quanto tentamos que fosse por cá publicado :D

      Falho em muita coisa, esta mensagem é a prova que há quem escreva mim vezes melhor que eu, mas numa coisa não me podem acusar, eu tento divulgar o que é bom (sempre subjetivo) e acredita cada vez mais te compreendo ;)

      Abraço

      Eliminar
  12. Os livros do Mcclellan parecem-me ser interessantes. Fantasia oitocentista com mosquetes? Pólvora versus magia? Hum...curioso...os livros do Sykes( acabei de os encomendar) parecem ser divertidos naquela veia "são todos chungas, patifes e mal cheirosos". E não me importo de os ver a combater homens-tubarões. Ok. Prefiro isso aos Inquisidores panisgosos do Sanderson que têm forquihas espetadas nos olhos..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu no meu livro também tenho mosquetes, e há existência da pólvora, que eles apelidam de tormento negro. Mas claro, não sou nenhum especialista nem tão pouco historiador, apenas um iniciado nestas andanças. Todos sabemos que a pólvora resulta da combinação de nitrato de potássio, carvão e enxofre, enquanto o tormento negro dos meus livros é uma substância granular que não foi alvo de qualquer mistura, que por natureza já é explosiva, encontrada no subsolo das savanas. Inverosímil? Talvez para nós, não para um povo inspirado nas culturas greco-romanas. Talvez seja exatamente isso que uns e outros senhores poderosos querem fazer com que o mundo acredite, que o tormento negro saiu da terra por intervenção divina. Mas nesta história há mistérios a serem revelados constantemente, em todos os livros. Adiante, deixando de falar da minha saga para não me arriscar a libertar spoilers, os livros do McLellan parecem-me coisas muito bem fundamentadas, das descrições e críticas que tenho lido. Parece diferente do que já existe e talvez se os meninos do Lynch se usassem de canhões e arcabuzes, quem sabe os senhores Magos de Karthane fossem um pouquinho menos arrogantes. Quanto ao Sykes ainda só espreitei o site do autor e vi as comics, e apesar de bem fantasioso despertou-me muito o interesse. Depois diga se são bons, sr. Barreiros :) Se eu não fosse um zero à esquerda em línguas estrangeiras também por certo tomaria esse hábito de ler em inglês.

      Eliminar
  13. Nàome tratem por Sr Barreiros que me traumatizam. Tratem-me por João, ou, numa de viscoso respeito por quem manda, de Tio Barreiros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lol mas és um senhor a nível de conhecimentos de livros Tio Barreiros :D

      Eliminar
  14. Nuno Ferreira, talvez te interesse, para as tuas histórias, leres este artigo da Wikipédia sobre o misterioso "fogo grego" que mesmo hoje em dia ainda ninguem sabe de que era feito.
    http://pt.m.wikipedia.org/wiki/Fogo_grego

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, por acaso já tinha pensado no fogo grego, se bem que ele me faz mais lembrar o fogovivo das Crónicas de Gelo e Fogo. O meu tormento negro é análogo à pólvora, e usado em arcabuzes, mosquetes, revólveres, canhões.

      Eliminar
  15. Belo livro, e ótimo comentário, sim senhor! Parabéns, Nuno! Dá logo vontade de ir a correr pegar no livro outra vez! :D

    Por acaso acho que a SdE fez mal em não apostar mais neste autor por cá. Lembro-me que na altura foi o Fiacha que me recomendou, e não havia realmente muita publicidade. Não o encontrava na FNAC, tive de pedir, e foram busca-lo a uma gaveta!

    Em relação ao livro em si, concordo com tudo o que disse o Nuno, em relação às "qualidades" e "defeitos", mas acrescento ainda outro pequenino: ao contrário do Nuno, adoro Veneza mas não gostei nada dos capítulos iniciais...lol. Achei aquilo tudo muito confuso, e não estava a conseguir contextualizar-me.
    Mas depois o livro compensa bem, é surpreendentemente bom!
    E para mim funciona muito bem como stand alone, o que é ótimo. Eu até tenho os seguintes, na versão original, na minha wishlist desde essa altura, mas há sempre coisas novas a aparecer, o caché para investir não é assim muito, e eles vão ficando para trás. ;) ;) ;)

    Cumprimentos,
    Paula

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois miga,

      Só não o divulgo se não poder, uma pena a SDE não continuar a apostar, mas nunca se sabe se um dia não volte.

      Seja como for eu safei-me a ler o 2 em versão digital e está a ser muito bom Stark e espero que no Brasil continuem a publicar os restantes eheeh

      bjs

      Eliminar
    2. Obrigado, Paula. Eu também vou continuar com o Mares de Sangue, talvez no início de 2015

      Eliminar
  16. Como pode ficar uma pessoa indiferente depois de uma opinião destas e de tantas boas recomendações nos comentários?
    Que venha uma promoção para eu o poder comprar! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oie,

      na feira do livro deve-se conseguir bem barato, quem sabe eu veja e digo-te ;)

      bjs e nao deixes escapar este brilhante escritor :D

      Eliminar
    2. Já não vou à feira do livro de Lisboa à uns quantos anos, quero ver se este ano resolvo isso, pois sinto muito a falta <3

      Eliminar
    3. Ui vai ser onde me vou perder na compra de livros e a banca da SDE com livros a 5€ não falha, pelo menos um conjunto de 4 para receber outro grátis eheheh

      Isso é que era, a malta encontrar-se na feira do livro, quantos mais melhor :D...eu vou de camioneta que tenho passe eheheh

      Eliminar
    4. Isso é que era, tentar combinar uns quantos um dia certo! :D

      Eliminar
    5. Sim é o que costumo fazer com certa malta fixe se te poderes juntar és muito bem vinda, mas na altura combinamos :D

      E olha tens parceria com a Chiado ? Tens que ler o livro "Espada que Sangra" do Nuno Ferreira é ele que fez esta mensagem e é uma pessoa impecavel, lê que vais ficar surpreendida só te digo ;)

      Eliminar
    6. Assim sendo é esse o livro que vou pedir a seguir! :)

      Eliminar
    7. Pede sim que vais gostar :)

      Olha o meu comentario :)

      http://leiturasdofiachaocorvonegro.blogspot.pt/2014/10/espada-que-sangra-de-nuno-ferreira_16.html

      Eliminar
    8. Hummm por aquilo que vi é tipo Senhor dos anéis, Nárnia, Eragon e mundos desses?
      Nunca gostei desses género, mesmo o pouco "fantástico" que eu leio gosto que tenha uma boa dose de realismo e passado no nosso planeta, de preferência, sem mapas esquisitos de terras manhosas (sem ofensa nenhuma, são gostos) ;)

      Eliminar
    9. Ora ai está não tem nada a ver eu referi isso no comentário tem muito poucos elementos fantasticos, é mais jogos de interesses, experimenta vai por mim ;)

      Eliminar
  17. Dos três livros da série, o meu preferido é este primeiro, que gostei muito da leitura do início ao fim. Uma história convincente e muito bem escrita.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois bem vindo,

      Só posso concordar :)

      Abraço

      Eliminar